Uma pessoa pode ter morrido; investigadores querem descobrir se os incêndios no Condado de San Diego foram provocados

Reuters

Os bombeiros do Estado norte-americano da Califórnia combatem uma série de incêndios florestais que forçaram 125 mil pessoas a deixarem suas casas na área da cidade de San Diego e podem ter matado pelo menos uma pessoa, nesta sexta-feira (16).

Ontem: Incêndios forçam a retirada de moradores do sul da Califórnia

Mulher ajuda vizinho a apagar fogo com mangueira na Califórnia, EUA (15/05)
AP
Mulher ajuda vizinho a apagar fogo com mangueira na Califórnia, EUA (15/05)


2010: Incêndio em Chicago mudou rumo do desenvolvimento urbano nos EUA

Dos nove grandes incêndios na região sul da Califórnia, o que representa perigo mais imediato, o chamado incêndio de Cocos, está avançando em direção das comunidades de San Marcos e Escondido, no norte do Condado de San Diego.

Pelo menos uma grande residência pegou fogo na área periférica de San Marcos. O câmpus de San Marcos, da Universidade Estadual da Califórnia, foi esvaziado. As autoridades disseram estar investigando por que tantos focos tiveram início ao mesmo tempo e se foram provocados.

Propagadas pelo vento, as chamas varreram terrenos secos próximos a casas e estradas em nove incêndios em todo o condado, com fumaça negra subindo ao céu em um momento no qual a Califórnia entrou na estação de incêndios em meio a uma das piores secas em anos. 

Veja imagens de incêndios que assolaram os EUA

O governador da Califórnia, Jerry Brown, declarou estado de emergência para liberar recursos. Uma chama em San Marcos que começou na quarta levou autoridades a emitirem alertas de retirada para milhares de residentes e estudantes do campus da Universidade do Estado da Califórnia.

Outro fogo, desta vez na base naval de Camp Pendleton, no norte de San Diego, varreu cerca de 6 mil hectares na quarta-feira à noite, levando a um esvaziamento da habitação militar e da estação de armas navais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.