Índia realiza última fase das suas eleições gerais

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O candidato favorito ao cargo de premiê é o nacionalista hindu Narendra Modi. Resultados devem ser anunciados na sexta (16)

Milhões de eleitores indianos enfrentaram o sol de até 42ºC desta segunda-feira (12) para participar do último dia de votação das eleições nacionais. O candidato da oposição nacionalista hindu é o principal candidato ao cargo de primeiro-ministro.

Abril: Com seis semanas de duração, Índia dá início à maior eleição do mundo

AP
Freira das Missionárias da Caridade, ordem fundada por Madre Teresa, deixa assembléia eleitoral após lançar voto no último dia de votação em Kolkata, Índia


Política: Com 93 anos, candidato mais velho da Índia pretende atuar até 'último suspiro'

Com 814 milhões de eleitores, a Índia realizou suas eleições em fases ao longo de seis semanas. Os resultados devem sair nesta sexta-feira (16).

O candidato da oposição Bharatiya Janata Party entrou na eleição com forte impulso devido as promessas de crescimento econômico. As primeiras pesquisas sugerem que há uma profunda insatisfação do povo com o partido que está no poder há dez anos. Os primeiros resultados parciais, que na Índia são famosos por serem imprecisos, são esperados para a noite desta segunda após rodada final de votação.

Milhares de pessoas saíram cedo para votar na cidade sagrada hindu de Varanasi, onde Narendra Modi, candidato favorito ao cargo de primeiro-ministro pelo partido da oposição, Bharatiya Janata (BJP), busca vitória simbólica sobre o chefe do partido anti-corrupção da Índia, Arvind Kejriwal. Modi tem travado uma batalha árdua com Kejriwal e Ajay Rai do Partido do Congresso.

"Nós queremos votar em um candidato que seja acessível, alguém que possa vir quando tivermos problemas e nos ajudar quando haja alguma necessidade", disse Sofia Shaheen, professora.

Girija Shankar, um oficial aposentado do governo, disse que busca um governo limpo. "Nós só devemos apoiar uma pessoa que possa nos entregar isso."

Um conflito irrompeu durante voto aberto a 35 km a nordeste de Kolkata, capital do estado de Bengala, onde Ajay Dasgupta, porta-voz de um Partido Comunista da Índia (Marxista), acusou funcionários do partido Congresso Trinamool de disparar contra os simpatizantes de seu do partido ferindo quatro deles. O Congresso Trinamool negou a acusação.

Uma pesquisa recente do Centro de Pesquisas Pew afirmou que 63% dos indianos preferem o BJP do que o Partido do Congresso em exercício. Indianos movem um gigantesco número de votos durante as eleições, de acordo com a Comissão Eleitoral. Os 502 círculos parlamentares receberam até o dia 8 de maio mais de 66.27% dos votos, aumento de 58.13% em relação as eleições de 2009.

Na índia, as eleições são consideradas geralmente livres e justas. Mas também há desafios a serem transpostos, com antigas tradições de lealdade casta, patriarcado e nepotismo, que muitas vezes influenciam os padrões de votação.

Eleição deste ano foi marcada por lutas amargas e muitas vezes marcada por divisões religiosas e ataques pessoais. A campanha cuidadosamente elaborada e bem financiada do BJP promete boa governação em um momento em que o Partido do Congresso tem sido assolado por escândalos repetidos, e seu líder, Rahul Gandhi, não não conseguiu inspirar o público, deixando muitos analistas prevendo o BJP provavelmente vai emergir com o maior número de lugares.

*Com AP

Leia tudo sobre: eleicoes na indiagandhibjppremiepartido do congressopesquisa pewkejriwaltrinamoolshankardasguptamodiparty

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas