Afeganistão confirma mais de 2,1 mil mortos após deslizamento de terra

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Governo da província Naweed Forotan diz que agora concentra esforços para ajudar mais de 4 mil pessoas que perderam tudo

Autoridades afegãs desistiram de encontrar quaisquer sobreviventes do deslizamento que aconteceu no nordeste do país e colocaram, neste sábado (3), o número de mortos em mais de 2,1 mil, de acordo com governo da província Naweed Forotan.

Mais cedo: Mortos após deslizamento de terra no Afeganistão pode chegar a 2 mil

AP
Afegãos procuram por sobreviventes soterrados após deslizamento de terra massivo em vilarejo na província de Badakhshan, nordeste do Afeganistão (2/04)


Ontem: Chega a 350 o número de mortos após deslizamento de terra no Afeganistão

Enquanto isso, as equipes de resgate concentraram-se em ajudar as mais de 4 mil pessoas que perderam seus lares.

Autoridades expressaram preocupação com a possibilidade de que a área instável acima do local do desastre possa ceder novamente, ameaçando aqueles que perderam suas casas, as equipes de resgate locais e da Organização das Nações Unidas (ONU), que chegaram à província de Badakhshan, que faz fronteira com o Tadjiquistão.

"Mais de 2,1 mil pessoas de 300 famílias estão mortas", disse à Reuters o porta-voz do governador da província Naweed Forotan.

Aldeões e dezenas de policiais, equipados apenas com ferramentas básicas para cavar, retomaram a busca ao raiar do dia, mas logo ficou claro que não há esperança de encontrar sobreviventes enterrados em até 100 metros de lama.

A missão da ONU no Afeganistão informou que o foco agora está mais nas 4 mil pessoas que perderam seus lares como resultado direto do deslizamento de sexta-feira ou como medida de precaução em vilarejos também estão ameaçados.

Veja fotos do desastre

Crateras em rua próximo de vila onde deslizamento de terra soterrou cerca de 300 casas no Afeganistão (2/05). Foto: ReutersParede de terra caiu sobre casas do vilarejo de Hobo Barik, na província de Badakshan (2/05). Foto: ReutersMilhares estão desaparecidos após deslizamento de terra em Hobo Barik, Afeganistão (2/05). Foto: ReutersHabitantes de região próxima a vila de Hobo Barik, no Afeganistão, migraram para área menor e mais segura (2/05). Foto: APFortes chuvas têm castigado o Afeganistão (2/05). Foto: APÁrea ficou devastada após deslizamento de terra, no Afeganistão (2/05). Foto: AP

Desastre

Porta-voz das Nações Unidas havia informado na sexta (2) que ao menos 350 corpos foram encontrados após deslizamento de terra. 

De acordo com Ari Gaitanis, da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão, a ONU esteve trabalhando com autoridades no terreno para resgatar possíveis pessoas que poderiam estar presas entre os escombros.

Mais cedo, O governador da província de Badakshan, Shah Waliullah Adeeb, afirmou que mais de 2 mil continuavam desaparecidos depois que um morro desabou sobre a vila de Hobo Barik. Adeeb afirmou que o deslizamento de terra soterrou cerca de 300 casas - um terço das moradias do local.

Segundo o governador, as equipes de resgate  não têm equipamento suficiente, estão apelando para pás.

*Com Reuters e AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas