Tropas da Ucrânia iniciam operação em Sloviansk

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Um piloto de helicóptero foi morto e outro capturado por rebeldes durante os conflitos

Forças do governo ucraniano iniciaram operações em Sloviansk. A cidade é um reduto de separatistas pró-Rússia, que exercem um controle cada vez maior no leste do país. O ministro do interior Arsen Avakov informou que um piloto ucraniano foi morte e outros soldados foram feridos. Segundo o ministro, nove postos de controle foram retomados pelas forças ucranianas.

“Os terroristas abriram fogo com armamento pesado contra nossas unidades especiais. Uma batalha real com mercenários profissionais está em curso”, disse Avakov.

Entretanto, separatistas em três postos de controle de Sloviansk informaram à BBC que ainda atuam na cidade.

Atiradores pró-Rússia derrubaram ao menos dois helicópteros e capturaram um piloto. Os conflitos, aparentemente, estão concentrados na periferia da cidade, segundo a correspondente da BBC em Donetsk, Sarah Rainsford.

Mais cedo, o presidente em exercício, Olexander Turchynov, reinstaurou o recrutamento militar para conter a deterioração da segurança no leste do país.

A ação, anunciada em decreto, veio após militantes pró-Rússia tomarem o escritório da promotoria em Donetsk, um pólo industrial onde vários outros prédios governamentais foram invadidos nas últimas semanas.

Eles invadiram o prédio, tomaram posse de armas e equipamentos dos agentes policiais presentes e hastearam a bandeira da autoproclamada República Popular de Donetsk.

A Ucrânia acusa a Rússia de incentivar as invasões dos prédios públicos no leste, o que Moscou nega. Mais de 40 mil soldados russos estão na fronteira com a Ucrânia.

Turchynov disse na quarta que as forças do país estão impotentes contra a instabilidade em algumas partes do leste, alegando que o principal objetivo é prevenir a sua propagação. Ele também declarou que o país está em “estado de alerta total” diante do risco de uma possível invasão russa.

Monitores presos

O leste da Ucrânia tem uma grande população de língua russa e foi um reduto para o presidente Viktor Yanukovych, antes de eles ser deposto por manifestantes pró-oeste em fevereiro.

A Rússia anexou a península da Crimeia – território da Ucrânia que tem maioria de população pró-Rússia – decisão que provocou indignação internacional. A crise levou as negociações Leste-Oeste ao seu pior ponto desde a Guerra Fria.

Na quinta, a chanceler alemã Angela Merkel pediu que a Rússia, em uma ligação ao presidente Vladimir Putin, ajude a libertar monitores internacionais que estariam presos no leste da Ucrânia.

Os observadores militares foram apreendidos por separatistas pró-Rússia em um posto de controle na cidade de Sloviansk, principal foco dos conflitos, na última sexta-feira.

De seu lado, Putin reiterou seu desejo de que Kiev retire as tropas do sudeste para permitir um diálogo nacional.

Angela Merkel deve encontrar o presidente norte-americano Barack Obama, em Washington, nesta sexta para discutir a crise na Ucrânia.

Com informações da BBC

Leia tudo sobre: UcrâniacriseCrimeiaRússia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas