Ameaça russa obriga Ucrânia a reintroduzir serviço militar obrigatório

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O serviço militar obrigatório havia sido abolido na Ucrânia este ano, por uma lei de 2013 do ex-presidente Viktor Ianukovich

Agência Brasil

O presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, decretou nesta quinta-feira (1º) a reintrodução do serviço militar obrigatório diante da insurreição de forças pró-Rússia no leste do país.

Leia também: Ucrânia expulsa diplomata militar russo por espionagem

Angela Merkel pede ajuda a Putin para libertar observadores na Ucrânia

AP
É contra a ameça do exército russo (foto) que presidente da Ucrânia revogou lei que acabava com serviço militar obrigatório no país

A medida, que tem efeitos imediatos, foi tomada “devido à deterioração da situação no leste e no sul, à força crescente de unidades armadas pró-Rússia e à tomada de edifícios da administração pública, que ameaçam a integridade territorial”, segundo um comunicado da presidência.

Ontem: Ucrânia está em alerta máximo sobre possível ataque russo

O decreto, publicado hoje no Diário Oficial da Ucrânia, determina que a primeira convocatória seja realizada com urgência. O recrutamento afetará os homens entre 18 e 25 anos.

No dia 17 de abril, o Parlamento ucraniano recomendou ao presidente o restabelecimento do serviço militar obrigatório para reforçar a defesa do país dada a "agressão da Rússia”.

O serviço militar obrigatório havia sido abolido na Ucrânia este ano, por uma lei de 2013 do ex-presidente Viktor Ianukovich, deposto em fevereiro. As Forças Armadas ucranianas têm atualmente cerca de 130 mil homens.

Leia tudo sobre: ucrâniarússiaexércitomundo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas