Prefeito de Kharkiv encontra-se em estado grave e insurgentes capturam mais prédios em Kostyantynivka, também no leste

Nos mais recentes episódios de violência no leste da Ucrânia, o prefeito pró-Rússia de Kharkiv, segunda maior cidade do país, encontra-se em estado grave nesta segunda-feira após ter sido atingido nas costas e insurgentes pró-Rússia capturaram novos prédio enquanto as tensões aumentam em meio a uma nova rodada de sanções dos EUA contra Moscou .

Hoje: Novas sanções dos EUA miram círculo próximo a Putin e companhias da Rússia

Domingo: Separatistas pró-Rússia libertam um dos observadores europeus

Foto de 22/2/2014 mostra Hennady Kernes, prefeito de Kharkiv
AP
Foto de 22/2/2014 mostra Hennady Kernes, prefeito de Kharkiv

Premiê ucraniano:  Rússia busca Terceira Guerra Mundial

Hennady Kernes, de 54 anos, pedalava sua bicicleta pelo mesmo trajeto que faz quase todos os dias quando foi atingido, provavelmente por alguém escondido em bosques próximos, disse a porta-voz do governo local, Iryna Kushcjenko.

Seus guarda-costas o seguiam em um carro, mas não se encontravam próximos o bastante para intervir, disse. O Ministério do Interior informou que Kernes foi levado à emergência do hospital de Kharkiv. "Médicos classificam seu estado como sério", disse o ministério em comunicado.

Quinta: Rússia anuncia novo exercício militar após ação da Ucrânia contra separatistas

Kernes, egresso dos próprios quadros da administração local, foi acusado há dois meses pelos novos líderes ucranianos pró-Ocidente de promover o separatismo ao ter reivindicado a independência quando manifestantes pró-Rússia assumiram o controle de prédio públicos.

Veja imagens de militantes pró-Rússia e homens armados russos na Ucrânia:

Forças ucranianas expulsaram os rebeldes neste mês, o que fez de Kharkiv a única grande cidade no leste do país a ter retomado o controle das mãos de manifestantes armados, que ocuparam prédios do governo e delegacias, montaram bloqueios de rua ou realizaram protestos para reivindicar uma maior autonomia ou a direta anexação pela Rússia.

Quarta: Rússia promete retaliar se seus interesses forem ameaçados na Ucrânia

O governo interino da Ucrânia e o Ocidente acusam a Rússia pelos tumultos, que temem que podem ser usados por Moscou como um pretexto para a invasão. No mês passado, a Rússia anexou a Crimeia depois de tomar o controle dessa península do Mar Negro.

Em uma tentativa de aumentar a pressão sobre o presidente russo, Vladimir Putin, os EUA impuseram novas sanções contra sete autoridades do governo russo, assim como contra 17 companhias com vínculos com Putin.

Também nesta segunda-feira, militantes mascarados com armas automáticas tomaram o controle de outro prédio da prefeitura e de uma delegacia, dessa vez em Kostyantynivka, a 160 km da fronteira russa. A cidade fica a km ao sul de Slovyansk, uma grande cidade no leste ucraniano que está nas mãos de insurgentes há três semanas.

*Com AP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.