Vaticano anunciou neste sábado que papa Francisco celebrá cerimônia com Bento 16, que virou papa emérito após renúncia

AP

Em uma histórica combinação de papados passados e presentes, o papa Francisco e o papa emérito Bento 16 honrarão os papas João 23 e João Paulo 2º na primeira canonização a já ocorrer de dois pontífices. Para uma ocasião tão importante, a cerimônia é na verdade curta e surpreendentemente direta, com o benefício a mais de que as relíquias dos dois novos santos serão apresentadas para veneração universal pela Igreja pela primeira vez. Leia a seguir cinco pontos a se acompanhar — mas, lembre-se, o rito é celebrado em sua maioria em latim, a língua oficial da Igreja Católica.

Veja imagens de João Paulo 2º e João 23:

1. Cerimônia

A parte preliminar da cerimônia começa cerca de 4 horas de Brasília com preces e hinos para culminar com a entoação da hipnótica Ladainha dos Santos, cada uma seguida pelo refrão "Ora pro nobis", ou "Reze por nós".

João Paulo 2º e João 23 vão se tornar santos: Entenda a canonização

Depois de o papa Francisco e aqueles que o auxiliam na celebração prosseguirem para o altar, o ritual da canonização começa imediatamente.

O chefe do gabinete de santificação do Vaticano, cardeal Angelo Amato, pede ao papa por três vezes separadamente que inclua João 23 e João Paulo 2º entre os santos. No rito da beatificação, esse pedido é feito apenas uma vez. A repetição por três vezes desse pedido para a canonização "significa a importância dessa celebração", pontuou o porta-voz do Vaticano, o reverendo Federico Lombardi.

2. Pronunciamento

O papa Francisco então diz: "Pela honra da Santíssima Trindade, pela exaltação da fé católica e pelo aumento da vida cristã, sob a autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, dos apóstolos sagrados Pedro e Paulo e sob a nossa própria, depois da devida deliberação e da prece frequente pela assistência divina e tendo buscado o conselho de muitos de nossos bispos irmãos, declaramos e definimos os Abençoados João 23 e João Paulo 2º como santos e os inscrevemos entre os santos, decretando que eles têm de ser venerados dessa forma por toda a igreja. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo."

3. Relíquias

Cortinas são vistas com retratos de João Paulo 2º (E) e João 23 (D) no Vaticano (25/4)
AP
Cortinas são vistas com retratos de João Paulo 2º (E) e João 23 (D) no Vaticano (25/4)

Canonizado domingo com João Paulo 2º: Saiba quem foi João 23

Relíquias dos dois santos estão serão trazidas para o altar. No caso de João Paulo, será utilizada a mesma relíquia — seu sangue — de sua beatificação em 2011. Para João 23, um pequeno pedaço de pele tirado depois que seu corpo foi exumado para sua beatificação em 2000 será usado. As relíquias — os restos físicos de um novo santo ou coisas que tenha tocado em vida — são utilizadas para ajudar na veneração dos fiéis.

Camiseta com sangue, garfo sem lavar: Conheça as relíquias de João Paulo 2º

Amato então agradece Francisco e lhe pede que elabore um documento oficial atestando a canonização. Francisco responde "Assim o decretamos" e o rito termina com a canção "Glória". A missa então continua como normalmente.

4. Em números

O Vaticano disse neste sábado que Francisco celebraria a missa e Bento 16 a cocelebraria juntamente com 150 cardeais e 700 bispos . Essa é a primeira vez em que Bento se unirá a Francisco para celebrar uma missa pública desde sua renúncia , em 2013. Bento participou da cerimônia de fevereiro na Basílica de São Pedro na qual Francisco consagrou 19 novos cardeais, mas como um espectador.

Saiba mais: Relembre a trajetória do papa João Paulo 2º

Cerca de 600 padres darão a comunhão na Praça de São Pedro e 210 diáconos darão a comunhão às multidões que devem fazer fila ao longo da Via della Conciliazione, a principal avenida saindo da praça.

93 delegações oficiais , incluindo estimados 23 chefes de Estado , que comparecerão à celebração. São esperados os reis e rainhas da Bélgica e da Espanha, assim como os membros da realeza de Andorra, Inglaterra e Luxemburgo. A Polônia envia uma das maiores delegações, com o atual presidente e o ex-presidente Lech Walesa, fundador do movimento Solidariedade que derrubou o comunismo no país, grupo que João Paulo apoiava.

Haverá 20 líderes judeus dos EUA, Israel, Argentina, Polônia e Roma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.