Adolescente que viajou em trem de pouso força revisão de segurança nos EUA

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Garoto entrou em cavidade de pneu de avião na Califórnia e suportou temperaturas congelantes por cinco horas até o Havaí

Um adolescente de 15 anos atravessou a pista do aeroporto e subiu na cavidade de um pneu de um jato e então voou por cinco horas congelantes ao Havaí — um contratempo que forçou autoridades a olhar atentamente para o sistema de segurança que protege a fronta aérea dos EUA.

Clandestino: Jovem sobrevive a voo de cinco horas ao Havaí em trem de pouso

AP
Adolescente é visto em maca após viajar por cinco horas em trem de pouso de avião em voo entre a Califórnia e o Havaí (20/4)

O garoto, que vive em Santa Clara, Califórnia, saiu do trem de pouso de um Boeing 767 no aeroporto de Maui no domingo, de acordo com o FBI. Autoridades encontraram o estudante do ensino médio perambulando pela área do aeroporto sem identificação. Ele foi questionado pelo FBI e então levado de ambulância a um hospital, onde foi constatado que ele não tinha ferimentos.

O porta-voz do FBI em Honolulu, Tom Simon, disse que o adolescente entrou na cavidade do pneu esquerdo traseiro do primeiro avião que viu em San José. "Ele teve sorte que o avião ia para Maui, mas ele não tinha Maui como um destino", contou Simon.

Ele desmaiou no ar e só retomou a consciência um hora depois do pouso no Hawaí, afirmou. Quando reacordou, desceu o trem de pouso e foi imediatamente visto pelos funcionários do aeroporto, que o escoltaram para o interior, onde ele foi questionado pelo FBI, relatou.

Não ficou imediatamente claro como o adolescente se manteve vivo no espaço sem pressurização, onde as temperaduras na altitude de cruzeiro podem cair para bem menos do que zero grau e o ar é tão rarefeito para manter as pessoas conscientes. Um estudo da Federação Federal de Aviação (FAA, na sigla em ingês) sobre passageiros clandestinos mostra que alguns sobreviveram por entrar em um estado similar à hibernação.

Na segunda-feira, autoridades tentaram determinar como o garoto escapou de vários níveis de segurança, incluindo um amplo sistema de monitoramento por vídeo, pastores-alemães e policiais em veículos motorizados.

A porta-voz do Aeroporto Internacional de San José, Rosemary Barnes, disse que os empregados monitoram as imagens dos vídeos de segurança de uma área de 425 hectares 24 horas por dia. Entretanto, ela afirmou que ninguém viu imagens de uma pessoa não identificada na rampa do aeroporto e se aproximando do voo 45 da Hawaiian Airlines no escuro até que os agentes de segurança revisaram a gravação depois de a aeronave ter pousado no Havaí e o menino ter sido descoberto.

O aeroporto, no centro do Vale do Silício, é cercado por cercas, embora algumas partes não tenham arame farpado e possam ser facilmente escaladas. O garoto conseguiu caminhar pela pista durante a noite, "sob o manto da escuridão", disse Barnes.

Horas mais tarde, um vídeo de segurança no Aeroporto de Kahului mostrou o adolescente descendo do trem de pouso depois da aterrissagem, de acordo com uma declaração do Departamento de Transportes do Havaí. O vídeo não foi divulgado porque a investigação está em andamento.

Leia tudo sobre: euacalifórniaaviãohavaí

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas