Síria se desfez de 80% de suas armas químicas, dizem inspetores da ONU

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Assad concordou em se desfazer das armas químicas depois que centenas de pessoas foram mortas em um ataque com gás sarin nos arredores da capital, em agosto passado

A Síria enviou para fora ou destruiu cerca de 80% de seu material de armas químicas declaradas, disse neste sábado (19) o chefe da equipe internacional que supervisiona o processo de desarmamento.

Hoje: Jornalistas franceses sequestrados na Síria são soltos após quase um ano

AP
Bashar al-Assad conversa com repórteres após viagem à França em 2010

Sigrid Kaag, coordenador especial da missão conjunta das Nações Unidas e da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), disse que, se o ritmo se manteve, a Síria deve ser capaz de cumprir o seu prazo de 27 de abril a entregar todos os agentes químicos declarados.

"O ritmo renovado dos movimentos é positivo e necessário para assegurar o progresso no sentido de um prazo apertado", disse Kaag.

Março: Conflito na Síria completa três anos com mais de 100 mil mortos; entenda

Infográfico: Saiba o que está em jogo para os países do Oriente Médio com a Síria

Cenário: Onda de refugiados sírios pressiona tecido social e econômico de vizinhos

O presidente sírio, Bashar al-Assad concordou com os Estados Unidos e a Rússia para se desfazer das armas químicas -um arsenal que Damasco nunca havia reconhecido formalmente- depois que centenas de pessoas foram mortas em um ataque com gás sarin nos arredores da capital, em agosto passado.

Washington e seus aliados ocidentais disseram que as forças de Assad espalharam o agente, no pior ataque químico do mundo em um quarto de século. O governo culpou o lado rebelde na guerra civil da Síria, que está agora em seu quarto ano.

* Com informações da Reuters

Leia tudo sobre: mundo árabeprimavera árabesíriaassadarmas químicas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas