Povos hereros e namaquas, dizimados pelo Exército alemão na África, foram as primeiras vítimas de genocídio do século 20

Quando Samuel Maharero liderou a revolta do povo herero contra o domínio dos alemães na região sudoeste da África, onde hoje fica a Namíbia, não imaginou que faria parte de uma triste marca para a história mundial: foi uma das 65 mil vítimas - ao menos 80% da população herero da época - do primeiro genocídio do século 20.  

Saiba mais: Conheça os ditadores mais cruéis da história 

Dominada pela Alemanha de 1884 a 1915, a área foi palco de vários confrontos entre os povos que já viviam na região e os colonos entre 1904 e1907. O último deles, a batalha de Waterberg, reiterou a supremacia do então general alemão Lothar von Trotha e culminou na morte de Maharero. Após a derrota dos hereros, foi a vez dos namaquas iniciarem uma nova disputa pela região, confrontos que uma vez mais terminaram com êxito da Alemanha. Ao menos 10 mil namaquas foram mortos, cerca de 50% de sua população total.

Ao final dos embates, grande parte do que restou desses povos foi expulso para o deserto de Kalahari ou acabou em campos de concentração, trabalhando até a morte. Um século mais tarde, a Alemanha pediu perdão pela violência. Veja outros genocídios que marcaram o mundo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.