Parentes de passageiros de balsa naufragada na Coreia do Sul fornecem DNA

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Material ajudará a identificar mortos. Sewol, que levava 476 passageiros e tripulantes, afundou em viagem à ilha turística

Reuters

Alguns parentes das mais de 200 menores desaparecidos na balsa afundada na Coreia do Sul ofereceram amostras de DNA neste sábado para ajudar a identificação dos mortos, enquanto o resgate se transformou em uma missão para recuperar a embarcação e os corpos das pessoas a bordo.

Capitão sul-coreano: Balsa não foi esvaziada logo porque mar arrastaria pessoas

AP
Parente de passageiro desaparecido de balsa naufragada na Coreia do Sul abre boca para teste de DNA em Jindo

Neste sábado: Coreia do Sul prende e acusa capitão por naufrágio de balsa

O Sewol, que levava 476 passageiros e tripulantes, afundou na quarta-feira em uma viagem do porto de Incheon para a ilha turística de Jeju, no sul do país. Há 32 mortes confirmadas.

O capitão Lee Joon-seok foi preso nas primeiras horas deste sábado acusado de negligência, assim como dois membros da tripulação, incluindo o terceiro imediato, que controlava o timão no momento do acidente.

Culpa: Vice-diretor de escola que tinha alunos em naufrágio na Coreia comete suicídio

Mais tarde os promotores disseram que era a primeira vez em sua carreira que o terceiro imediato conduzia o Sewol nas águas onde virou e afundou.

Parente de uma das vítimas, segurando retrato envolto em lençol branco, chora após tributo em Ansan, Coreia do Sul (23/4). Foto: ReutersMergulhadores buscam sobreviventes de naufrágio de balsa na Coreia do Sul (22/4). Foto: BBCParente de passageiro que estava a bordo de balsa naufragada em Seul chora enquanto aguarda informações em porto de Jindo (19/4). Foto: APBoias são rebocadas por um barco da marinha sul-coreana para ser instalada na balsa afundada na Coreia do Sul (18/4). Foto: ReutersCriança é resgatada por policiais marítimos sul-coreanos ao sair do navio 'Sewol', que naufragou em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersCorpo de um dos passageiros da balsa que afundou na região costeira da Coreia do Sul é levado para hospital em Jindo (16/04). Foto: APAdolescentes resgatadas após naufrágio na Coreia do Sul choram em academia para onde foram levadas (16/04). Foto: ReutersMulher se emociona ao ver o nome do filho em lista de sobreviventes na academia para onde eles foram levados, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersUma mãe se emociona ao ver o filho entre os resgatados após naufrágio na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersHomem é socorrido no porto após ser resgatado de balsa que afundou na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersEquipes de resgate auxiliam sobrevivente de naufrágio na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersParente espera por notícias sobre os desaparecidos sozinho, em uma área do porto em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APGrupo de familiares espera por notícias dos desaparecidos após naufrágio, em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APEquipes da guarda costeira resgatam as vítimas de um navio que afundou na Coreia do Sul (16/04). Foto: APPassageiros resgatados após naufrágio de balsa na Coreia do Sul são escoltados por equipes de resgate em sua chegada ao porto de Jindo, em Seul (16/04). Foto: APParentes a espera de notícias acompanham as buscas por desaparecidos na Coreia do Sul (16/04). Foto: APFamiliares choram enquanto aguardam por notícias de passageiros desaparecidos após naufrágio, na Coreia do Sul (16/04). Foto: APOficiais da guarda costeira sul-coreana tentam resgatar passageiros de naufrágio (16/04). Foto: APHelicópteros de resgate sobrevoam balsa de passageiros sul-coreanos que afundou com mais de 450 pessoas, na Coreia do Sul (16/04). Foto: APBalsa com tripulantes acabou afundando na Coreia do Sul. Maior parte das pessoas a bordo eram estudantes (16/04). Foto: APOficiais marítimos (de preto) tentam resgatar passageiros (com coletes salva-vidas) a bordo da balsa sul-coreana 'Sewol' (16/04). Foto: ReutersOficial marítimo (de preto) resgata passageiros a bordo da balsa sul-coreana 'Sewol', que naufragou na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersEmbarcação estava cheia de estudantes e acabou naufragando na Coreia do Sul. Autoridades marítimas buscam por desaparecidos (16/04). Foto: ReutersBalsa sul-coreana 'Sewol' é vista afundando no mar ao longo de Jindo, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersFamiliares choram enquanto esperam por passageiros desaparecidos de uma balsa que naufragou, no porto Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APDurante as buscas noturnas, autoridades iluminaram região para fazer os primeiros resgates, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersBusca da polícia marítima por passageiros desaparecidos com sinalizadores, após naufrágio da embarcação 'Sewol', na Coreia do Sul (16/04). Foto: Reuters

Mãe após naufrágio sul-coreano: 'Não posso dormir com minha filha na água'

Indagado por que os passageiros receberam ordens de ficar na cabine em vez de abandonar o navio, Lee, aparentemente perturbado pela dimensão do desastre, disse aos repórteres que temeu que caíssem na água pela correnteza forte e fria.

Relatos iniciais mostraram que a balsa se inclinou fortemente e virou, talvez por causa de uma mudança de posição na carga que levava, e membros da tripulação disseram que o capitão, que não estava na ponte de comando inicialmente, tentou em vão endireitar o navio.

Adeus: 'Mãe, eu te amo', diz torpedo de estudante em balsa naufragada

Cerca de 500 parentes das 270 pessoas listadas como desaparecidas assistiram ao vídeo submarino feito nas águas turvas depois que mergulhadores relataram ter visto três corpos através das janelas. Há ao menos 273 desaparecidos.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas