Mergulhadores resgatam mais dez corpos de naufrágio de balsa na Coreia do Sul

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Corpos foram encontrados após equipe de busca conseguir acessar o interior da embarcação afundada na costa coreana

As equipes de mergulhadores que trabalham nas buscas por desaparecidos do naufrágio de uma balsa na costa da Coreia do Sul resgataram mais dez corpos neste sábado (19), elevando para 46 o número de vítimas oficiais.

Leia também: 

Balsa não foi esvaziada logo porque mar arrastaria pessoas, diz capitão coreano

Parentes de passageiros de balsa naufragada na Coreia do Sul fornecem DNA

AP
Corpos são retirados do mar durante as buscas neste sábado (19)

Segundo autoridades coreanas, os corpos foram encontrados após os mergulhadores conseguirem acessar o interior da embarcação, após três dias de tentativas frustradas devido ao vento e às fortes correntes marítimas do local.

Mais de 250 pessoas, a maioria estudantes que fariam uma viagem de feriado, estão desaparecidas. Apenas 174 pessoas foram resgatadas com vida entre os cerca de 470 a bordo. 

Apesar do vento, das ondas fortes e da água turva, mergulhadores continuaram as buscas por centenas de pessoas. A Guarda Costeira, a Marinha e alguns mergulhadores individuais atuam no local do acidente, a cerca de 20 quilômetros da costa sudoeste da Coreia do Sul. Antes, equipes de resgate martelaram o casco emborcado da embarcação, na esperança de receber a resposta de algum sobrevivente preso lá dentro - o que não ocorreu, segundo relato da imprensa local.

A balsa, com 475 passageiros e tripulantes, virou na quarta-feira, no trajeto entre o porto de Incheon e a ilha turística de Jeju. Viajavam na balsa 340 alunos e professores do Colégio Danwon, de Ansan, na periferia de Seul.

Embora o local do naufrágio seja relativamente raso (menos de 50 metros), ele é muito perigoso para os cerca de 150 mergulhadores. Não há explicação oficial para o naufrágio, que está sendo investigado. A balsa, fabricada há 20 anos no Japão, fazia uma rota muito percorrida, e não havia baixios ou pedras nos arredores imediatos do trajeto habitual.

Parente de uma das vítimas, segurando retrato envolto em lençol branco, chora após tributo em Ansan, Coreia do Sul (23/4). Foto: ReutersMergulhadores buscam sobreviventes de naufrágio de balsa na Coreia do Sul (22/4). Foto: BBCParente de passageiro que estava a bordo de balsa naufragada em Seul chora enquanto aguarda informações em porto de Jindo (19/4). Foto: APBoias são rebocadas por um barco da marinha sul-coreana para ser instalada na balsa afundada na Coreia do Sul (18/4). Foto: ReutersCriança é resgatada por policiais marítimos sul-coreanos ao sair do navio 'Sewol', que naufragou em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersCorpo de um dos passageiros da balsa que afundou na região costeira da Coreia do Sul é levado para hospital em Jindo (16/04). Foto: APAdolescentes resgatadas após naufrágio na Coreia do Sul choram em academia para onde foram levadas (16/04). Foto: ReutersMulher se emociona ao ver o nome do filho em lista de sobreviventes na academia para onde eles foram levados, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersUma mãe se emociona ao ver o filho entre os resgatados após naufrágio na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersHomem é socorrido no porto após ser resgatado de balsa que afundou na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersEquipes de resgate auxiliam sobrevivente de naufrágio na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersParente espera por notícias sobre os desaparecidos sozinho, em uma área do porto em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APGrupo de familiares espera por notícias dos desaparecidos após naufrágio, em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APEquipes da guarda costeira resgatam as vítimas de um navio que afundou na Coreia do Sul (16/04). Foto: APPassageiros resgatados após naufrágio de balsa na Coreia do Sul são escoltados por equipes de resgate em sua chegada ao porto de Jindo, em Seul (16/04). Foto: APParentes a espera de notícias acompanham as buscas por desaparecidos na Coreia do Sul (16/04). Foto: APFamiliares choram enquanto aguardam por notícias de passageiros desaparecidos após naufrágio, na Coreia do Sul (16/04). Foto: APOficiais da guarda costeira sul-coreana tentam resgatar passageiros de naufrágio (16/04). Foto: APHelicópteros de resgate sobrevoam balsa de passageiros sul-coreanos que afundou com mais de 450 pessoas, na Coreia do Sul (16/04). Foto: APBalsa com tripulantes acabou afundando na Coreia do Sul. Maior parte das pessoas a bordo eram estudantes (16/04). Foto: APOficiais marítimos (de preto) tentam resgatar passageiros (com coletes salva-vidas) a bordo da balsa sul-coreana 'Sewol' (16/04). Foto: ReutersOficial marítimo (de preto) resgata passageiros a bordo da balsa sul-coreana 'Sewol', que naufragou na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersEmbarcação estava cheia de estudantes e acabou naufragando na Coreia do Sul. Autoridades marítimas buscam por desaparecidos (16/04). Foto: ReutersBalsa sul-coreana 'Sewol' é vista afundando no mar ao longo de Jindo, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersFamiliares choram enquanto esperam por passageiros desaparecidos de uma balsa que naufragou, no porto Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APDurante as buscas noturnas, autoridades iluminaram região para fazer os primeiros resgates, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersBusca da polícia marítima por passageiros desaparecidos com sinalizadores, após naufrágio da embarcação 'Sewol', na Coreia do Sul (16/04). Foto: Reuters

Capitão preso

O capitão de uma balsa sul-coreana que naufragou, foi preso no sábado (horário local), afirmou a agência sul-coreana de notícias Yonhap. A agência revelou que o capitão Lee Joon-seok, de 69 anos, enfrenta cinco acusações, incluindo negligência do dever e violação do direito marítimo.

Culpa: Vice-diretor de escola que tinha alunos em naufrágio na Coreia comete suicídio

Adeus: 'Mãe, eu te amo', diz torpedo de estudante em balsa naufragada

Mãe após naufrágio sul-coreano: 'Não posso dormir com minha filha na água'

Investigadores disseram anteriormente que Lee não estava no comando no momento que a balsa Sewol começou a inclinar acentuadamente na quarta-feira, mas sim um subalterno.

Mandados de prisão foram emitidos nesta sexta-feira contra Lee, o oficial no comando e outro membro da tripulação por não cumprirem o dever de ajudar os passageiros.

O vice-diretor do colégio sul-coreano que acompanhou centenas de alunos na balsa cometeu suicídio, disse a polícia nesta sexta-feira, enquanto diminuíam as esperanças de encontrar vivos qualquer um dos 274 desaparecidos.

* Com informações da AP e Reuters

Leia tudo sobre: coreia do sulnaufrágio na coreiabalsaresgate

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas