Sobe número de mortos em naufrágio de balsa na Coreia do Sul

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Número de mortos chegou 28. Mais de 200 pessoas ainda seguem desaparecidas. Outras 179 foram resgatadas

O número de vítimas fatais do naufrágio de uma balsa sul-coreana subiu para 28 na sexta-feira (horário local), enquanto pais de alunos desaparecidos culpavam o capitão da embarcação pela tragédia depois que ele e os funcionários da empresa de transporte fizeram um pedido de desculpas pela perda de vidas.

Menina de seis anos é resgatada de balsa na Coreia do Sul; assista

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o naufrágio na Coreia do Sul

Parente de uma das vítimas, segurando retrato envolto em lençol branco, chora após tributo em Ansan, Coreia do Sul (23/4). Foto: ReutersMergulhadores buscam sobreviventes de naufrágio de balsa na Coreia do Sul (22/4). Foto: BBCParente de passageiro que estava a bordo de balsa naufragada em Seul chora enquanto aguarda informações em porto de Jindo (19/4). Foto: APBoias são rebocadas por um barco da marinha sul-coreana para ser instalada na balsa afundada na Coreia do Sul (18/4). Foto: ReutersCriança é resgatada por policiais marítimos sul-coreanos ao sair do navio 'Sewol', que naufragou em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersCorpo de um dos passageiros da balsa que afundou na região costeira da Coreia do Sul é levado para hospital em Jindo (16/04). Foto: APAdolescentes resgatadas após naufrágio na Coreia do Sul choram em academia para onde foram levadas (16/04). Foto: ReutersMulher se emociona ao ver o nome do filho em lista de sobreviventes na academia para onde eles foram levados, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersUma mãe se emociona ao ver o filho entre os resgatados após naufrágio na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersHomem é socorrido no porto após ser resgatado de balsa que afundou na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersEquipes de resgate auxiliam sobrevivente de naufrágio na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersParente espera por notícias sobre os desaparecidos sozinho, em uma área do porto em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APGrupo de familiares espera por notícias dos desaparecidos após naufrágio, em Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APEquipes da guarda costeira resgatam as vítimas de um navio que afundou na Coreia do Sul (16/04). Foto: APPassageiros resgatados após naufrágio de balsa na Coreia do Sul são escoltados por equipes de resgate em sua chegada ao porto de Jindo, em Seul (16/04). Foto: APParentes a espera de notícias acompanham as buscas por desaparecidos na Coreia do Sul (16/04). Foto: APFamiliares choram enquanto aguardam por notícias de passageiros desaparecidos após naufrágio, na Coreia do Sul (16/04). Foto: APOficiais da guarda costeira sul-coreana tentam resgatar passageiros de naufrágio (16/04). Foto: APHelicópteros de resgate sobrevoam balsa de passageiros sul-coreanos que afundou com mais de 450 pessoas, na Coreia do Sul (16/04). Foto: APBalsa com tripulantes acabou afundando na Coreia do Sul. Maior parte das pessoas a bordo eram estudantes (16/04). Foto: APOficiais marítimos (de preto) tentam resgatar passageiros (com coletes salva-vidas) a bordo da balsa sul-coreana 'Sewol' (16/04). Foto: ReutersOficial marítimo (de preto) resgata passageiros a bordo da balsa sul-coreana 'Sewol', que naufragou na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersEmbarcação estava cheia de estudantes e acabou naufragando na Coreia do Sul. Autoridades marítimas buscam por desaparecidos (16/04). Foto: ReutersBalsa sul-coreana 'Sewol' é vista afundando no mar ao longo de Jindo, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersFamiliares choram enquanto esperam por passageiros desaparecidos de uma balsa que naufragou, no porto Jindo, Coreia do Sul (16/04). Foto: APDurante as buscas noturnas, autoridades iluminaram região para fazer os primeiros resgates, na Coreia do Sul (16/04). Foto: ReutersBusca da polícia marítima por passageiros desaparecidos com sinalizadores, após naufrágio da embarcação 'Sewol', na Coreia do Sul (16/04). Foto: Reuters

Dos 475 passageiros e tripulantes a bordo da balsa Sewol, que naufragou em águas calmas na quarta-feira, 179 pessoas foram resgatadas com vida e 270 ainda estão desaparecidas.

As autoridades sul-coreanas devem reiniciar os trabalhos de resgate nesta sexta-feira de manhã e enviar um submarino não tripulado para inspecionar a balsa. Mergulhadores, que enfrentam dificuldades devido à maré alta e às águas turvas, não foram capazes de acessar o interior do barco.

Comandante: Balsa sul-coreana teria desviado de rota; 'estou envergonhado', diz capitão

Há várias teorias sobre a causa do acidente e uma investigação oficial deverá ser retomada com o interrogatório do capitão. A balsa começou a afundar na quarta-feira durante uma viagem de rotina do importante porto de Incheon à ilha de veraneio de Jeju, 480 quilômetros ao sul.

Funcionários da Guarda Costeira disseram que a investigação estava focada em uma possível negligência da tripulação, problemas com o acondicionamento da carga e defeitos estruturais do navio, embora a embarcação pareça ter passado por todas as verificações de segurança.

O capitão, Lee Joon-seok, enfrenta uma investigação criminal, que é um procedimento padrão na Coreia do Sul. Parentes de pessoas que morreram acusaram ele e alguns tripulantes de serem os primeiros a deixar a embarcação.

Lee, de 69 anos, e a empresa proprietária do navio pediram desculpas pela perda de vidas, embora não tenham admitido responsabilidades.

Relatos de testemunhas dizem que os tripulantes instruíram alguns passageiros a permanecer onde estavam, enquanto o navio se inclinava até naufragar em cerca de duas horas, 25 quilômetros a sudoeste de Jindo, uma grande ilha sul-coreana ligada ao continente.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas