Número de mortos chegou 28. Mais de 200 pessoas ainda seguem desaparecidas. Outras 179 foram resgatadas

O número de vítimas fatais do naufrágio de uma balsa sul-coreana subiu para 28 na sexta-feira (horário local), enquanto pais de alunos desaparecidos culpavam o capitão da embarcação pela tragédia depois que ele e os funcionários da empresa de transporte fizeram um pedido de desculpas pela perda de vidas.

Menina de seis anos é resgatada de balsa na Coreia do Sul; assista

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o naufrágio na Coreia do Sul

Dos 475 passageiros e tripulantes a bordo da balsa Sewol, que naufragou em águas calmas na quarta-feira, 179 pessoas foram resgatadas com vida e 270 ainda estão desaparecidas.

As autoridades sul-coreanas devem reiniciar os trabalhos de resgate nesta sexta-feira de manhã e enviar um submarino não tripulado para inspecionar a balsa. Mergulhadores, que enfrentam dificuldades devido à maré alta e às águas turvas, não foram capazes de acessar o interior do barco.

Comandante: Balsa sul-coreana teria desviado de rota; 'estou envergonhado', diz capitão

Há várias teorias sobre a causa do acidente e uma investigação oficial deverá ser retomada com o interrogatório do capitão. A balsa começou a afundar na quarta-feira durante uma viagem de rotina do importante porto de Incheon à ilha de veraneio de Jeju, 480 quilômetros ao sul.

Funcionários da Guarda Costeira disseram que a investigação estava focada em uma possível negligência da tripulação, problemas com o acondicionamento da carga e defeitos estruturais do navio, embora a embarcação pareça ter passado por todas as verificações de segurança.

O capitão, Lee Joon-seok, enfrenta uma investigação criminal, que é um procedimento padrão na Coreia do Sul. Parentes de pessoas que morreram acusaram ele e alguns tripulantes de serem os primeiros a deixar a embarcação.

Lee, de 69 anos, e a empresa proprietária do navio pediram desculpas pela perda de vidas, embora não tenham admitido responsabilidades.

Relatos de testemunhas dizem que os tripulantes instruíram alguns passageiros a permanecer onde estavam, enquanto o navio se inclinava até naufragar em cerca de duas horas, 25 quilômetros a sudoeste de Jindo, uma grande ilha sul-coreana ligada ao continente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.