Boston marca um ano de atentado à maratona

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Explosões na linha de chegada mataram três e feriram 264. Obama e vice elogiam coragem de Boston para enfrentar crise

Boston realizou nesta terça-feira as cerimônias para lembrar o atentado à maratona da cidade no ano passado, que deixou três mortos e 264 feridos, iniciando com a visita do prefeito Martin Walsh e do cardeal Sean O'Malley aos locais onde as duas bombas explodiram.

Um ano após ataque à maratona: Boston e sobreviventes lutam para ficar de pé

Ataque em Boston: Veja cronologia dos principais acontecimentos

Olivia Savarino, centro, abraça Christelle Pierre-Louis, à esq., enquanto Callie Benjamin olha para a linha de chegada durante cerimônia na Boylston Street, EUA. Foto: APSobrevivente da explosão de 2013 Erika Brannock, uma professora de Baltimore, e sua mãe, Carol Downing, à dir., participam das homenagens em Boston, EUA. Foto: APDignitários, sobreviventes e socorristas descem a Boylston Street durante cerimônia que marca aniversário de 1 ano dos atentados de Boston, Massachusetts. Foto: ReutersSobreviventes da Maratona Erika Brannock se preparam para cruzar a linha de chegada após cerimônia em homenagem às vítimas dos atentados em Boston, EUA. Foto: APMultidão homenageia vítimas dos atentados de Boston, que aconteceram há 1 ano, nos EUA. Foto: ReutersFamiliares, sobreviventes e amigos homenageiam vítimas da Maratona de Boston de 2013, nos EUA. Foto: APPoliciais prestam continência enquanto bandeira dos EUA é hasteada próxima a linha de chegada em cerimônia que marca 1 dos atentados em Boston, EUA. Foto: APParentes dos mortos na Maratona de Boston caminham em cerimônia que homenageia as vítimas, nos EUA. Foto: APHomem chora ao assistir cerimônia em tributo a vítimas do ataque de Boston. Foto: ReutersHomem coloca homenagem aos três mortos na maratona e a policial morto dias depois pelos irmãos Tsarnaev em Boston. Foto: ReutersRosas são vistas em poste de luz no primeiro aniversário do ataque de Boston. Foto: ReutersParentes dos mortos na Maratona de Boston caminham com governador de Massachusetts, Deval Patrick (E), e prefeito de Boston, Martin Walsh (D). Foto: APPessoas fotografam cartaz onde se lê 'Boston é Forte'. Foto: APPessoas assistem à cerimônia em tributo às vítimas do ataque à Maratona de Boston, que aconteceu há um ano. Foto: APPolicial patrulha área perto de linha de chegada da Maratona de Boston. Foto: AP

Acompanhado por uma guarda de honra da polícia local, um grupo de autoridades que incluiu o governador de Massachusetts, Deval Patrick, e a família da vítima mais nova, o menino de 8 anos Martin Richard, parou duas vezes ao longo da Boylston Street, perto da linha de chegada da corrida.

Eles se abraçaram e falaram baixinho enquanto gaitas de foles eram tocadas, mas não foram feitos comentários públicos antes do memorial que contou com a participação do vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Em seu discurso, Biden afirmou que a coragem mostrada pelos sobreviventes e por aqueles que perderam seus entes queridos é uma inspiração para outros americanos que lidam com perdas e tragédias.

Vídeo: Câmera flagra momento de explosões na Maratona de Boston

Depois do memorial, que também contou com apresentações musicais, a cidade fez um minuto de silêncio às 14h49 locais (16h49 no horário de Brasília), o momento em que a primeira bomba explodiu.

Em Washington, o presidente Barack Obama também respeitou o minuto de silêncio em momento privado na Casa Branca. "Hoje, reconhecemos a incrível coragem e liderança de muitos moradores de Boston após essa tragédia impronunciável", disse Obama em uma declaração. 

No dia 15 de abril de 2013, explosões na linha de chegada da corrida mundialmente famosa atingiram espectadores, voluntários e atletas, no pior atentado em solo norte-americano desde o 11 de Setembro de 2011, quando quase 3 mil foram mortos.

AP
Segunda bomba explode perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/4/2013)

A maratona deste ano, marcada para 21 de abril, ocorrerá em um ambiente de maior segurança para os 36 mil corredores e dezenas de milhares de espectadores, que vão enfrentar novas restrições, incluindo a proibição de transportar mochilas no local da corrida.

Em panela de pressão: Bomba de ataque em Boston pretendia mutilar vítimas

O Ministério Público dos EUA afirma que os irmãos chechenos Dzhokhar e Tamerlan Tsarnaev levaram bombas caseiras para a linha de chegada da maratona em mochilas. As bombas mataram Martin Richard, Krystle Campbell, de 29 anos, e a chinesa Lu Lingzi, de 23.

Três dias após o ataque, o FBI divulgou fotos dos suspeitos pelo ataque e pediu a ajuda do público para encontrá-los. Isso levou os irmãos Tsarnaev a tentar fugir de Boston, que começou com a morte do policial Sean Collier em uma tentativa frustrada de roubar a arma dele.

Dzhokhar: Suspeito de ataque na Maratona de Boston é indiciado por 30 acusações

Houve então uma perseguição policial que terminou em um tiroteio nos arredores de Boston. Tamerlan, de 26 anos, foi morto, e Dzhokhar, agora com 20 anos, fugiu antes de ser capturado no dia 19 de abril. Ele aguarda julgamento por acusações que carregam a possibilidade de pena de morte, se for condenado.

Leia tudo sobre: bostoneuaataque em bostonmaratona de boston

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas