Novo ataque envia sinal preocupante, já que Islamabad sempre manteve-se relativamente livre da violência do restante do país

Uma bomba explodiu em um mercado de frutas e vegetais nos arredores de Islamabad nesta quarta-feira, deixando 22 mortos e dezenas de feridos em um novo ataque na capital paquistanesa que, até recentemente, manteve-se relativamente intacta em relação aos tiroteios e atentados que atingem outras partes do país.

Março: Taleban paquistanês anuncia trégua de um mês em esforço para acordo de paz

Paquistanês chora pela morte de membro de sua família em explosão de bomba em Islamabad
AP
Paquistanês chora pela morte de membro de sua família em explosão de bomba em Islamabad

Terça: Explosão de bomba em trem deixa ao menos 16 mortos no Paquistão

A confusão sobre quem lançou a explosão matutina destacou um dos problemas centrais do Paquistão — o grande número de grupos armados que recorrem à violência por vários motivos.

O Taleban paquistanês, que liderou uma campanha violenta durante anos para destituir o governo, rapidamente negou responsabilidade, dizendo em uma declaração que se mantém fiel às negociações sob um cessar-fogo . Braços do grupo realizaram ao menos um atentado durante o cessar-fogo.

Um grupo separatista de etnia baluque reivindicou responsabilidade pelo ataque desta quarta. Os separatistas baluques têm travado uma insurgência sangrenta há anos em seu reduto no sudoeste do país. Eles raramente atacaram tão longe quanto na capital e, se fossem para ser culpados, isso representaria uma preocupante expansão de seu alcance.

Mas o Ministério do Interior caracterizou a reivindicação baluque de "ridícula" e afirmou que investigações iniciais não sugerem envolvimento do grupo. Em uma nota, ele disse que o incidente "apontava em outra direção", mas não deu mais detalhes.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.