Votação ocorreu logo após Valls apresentar pacote de cortes de impostos e gastos para recuperar crescimento econômico

O governo do novo primeiro-ministro francês , Manuel Valls, conquistou um voto de confiança do Parlamento nesta terça-feira, horas após o premiê ter apresentado um pacote de cortes de impostos e gastos para recuperar o crescimento na segunda maior economia da zona do euro.

Dia 31: Premiê renuncia e ex-ministro do Interior, Manuel Valls, assume na França

Premiê francês, Manuel Valls, discursa na Assembleia Nacional em Paris
AP
Premiê francês, Manuel Valls, discursa na Assembleia Nacional em Paris

Votação: Extrema direita avança, e socialistas veem derrota como 'tapa na cara' na França

Deputados da Assembleia Nacional votaram por 306 a 239 a favor de Valls, nomeado primeiro-ministro na semana passada em uma reforma realizada pelo presidente François Hollande após a dura derrota sofrida pelo Partido Socialista nas eleições locais .

Valls disse que o novo governo vai embarcar no que chamou de "nova fase" no mandato de Hollande, que vai até 2017.

Apesar do resultado positivo da votação vendendo as propostas de um presidente extremamente impopular para seus próprios legisladores socialistas, Valls previamente reconheceu que a derrota socialista nas eleições mostraram uma França "sofrendo muito e sem muita esperança".

Tanto os aliados quanto os conservadores franceses suspeitam da mudança econômica que ele supostamente vai liderar - e do corte de 50 bilhões de euros que ele prometeu fazer no orçamento até 2017.

Com um desemprego na casa dos 10% há mais de cinco anos, um minúsculo crescimento econômico e uma dívida pública que é fonte de tensão com a União Europeia, Valls e Hollande precisarão mais do que confiança — eles esperam que a votação desta terça lhes dê um muito necessário espaço de manobra.

Em jogo estão empregos para 3 milhões de desempregados trabalhadores franceses e perspectivas para a economia de toda a zona do euro.

*Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.