Grupo separatista assumiu responsabilidade pelo atentado; os rebeldes acusam governo de explorar riquezas naturais de Sibi

Ao menos 16 passageiros morreram e 35 ficaram feridos nesta terça-feira (8), quando militantes explodiram uma bomba em um trem na Província do Baluchistão, informaram fontes do hospital e autoridades paquistanesas.

Domingo: Bebê é acusado de assassinato no Paquistão

Policiais paquistaneses analisam destroços de um trem de passageiros em Sibi, Paquistão
AP
Policiais paquistaneses analisam destroços de um trem de passageiros em Sibi, Paquistão


2013: Paquistão luta contra corrupção e erros políticos para manter luzes acesas

Redes de televisão paquistanesas mostraram imagens do carro em chamas, com labaredas saindo das janelas e muita fumaça no céu. O grupo separatista Exército Unido Baluque assumiu a responsabilidade pelo atentado. Em uma mensagem de texto à Reuters, os rebeldes disseram que foi uma retaliação aos ataques das forças de segurança.

A explosão aconteceu um dia após as forças de segurança do país informarem que 30 militantes separatistas haviam sido mortos em um dos maiores confrontos em meses na província, que é rica em gás. A bomba explodiu em um vagão somente para homens do Jaffar Express, na cidade de Sibi, a 120 quilômetros a sudeste da capital provincial de Quetta.

"O fogo tomou conta (do vagão) após a explosão, causando a maioria das mortes", disse um membro da equipe de resgate. O ministro para Ferrovias Khawaja Saad Rafique confirmou o número de vítimas.

A insurgência separatista no Baluchistão é um dos problemas crônicos da segurança que minam a estabilidade da país, que conta com armas nucleares. Os separatistas acusam o governo de acabar com os recursos naturais da província e deixar seu povo mergulhado na pobreza.

Sibi, província do Baluchistão, é a maior região paquistanesa. O trem estava indo de Quetta, capital do Baluchistão, para Rawalpindi, que fica ao lado da capital Islamabad. Sibi está localizado cerca de 150 quilômetros a leste de Quetta.

*Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.