Briga entre famílias causa morte de 23 pessoas no Egito, dizem autoridades

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Os dois lados usaram armas de fogo e coquetéis molotov; casas foram incendiadas antes de a polícia interromper a violência

Reuters

Pelo menos 23 pessoas morreram em confrontos entre famílias rivais na cidade egípcia de Aswan, afirmaram neste sábado autoridades da saúde e da segurança do país.

A violência começou na sexta-feira, quando estudantes das famílias rivais picharam muros de uma escola com insultos, disseram fontes de segurança. Uma família é da etnia Núbia, e a outra do clã árabe Beni Helal.

Os dois lados usaram armas de fogo e coquetéis molotov durante os confrontos. Várias casas foram incendiadas antes de a polícia poder interromper a violência neste sábado (5) pela manhã, afirmou o Ministério do Interior em comunicado.

Forças de segurança disseram que a polícia e o governador pediram reforço do Exército neste sábado para impedir que a violência continue. O porta-voz do Exército, Ahmed Ali, disse em sua página no Facebook que o órgão ajudou a "conter a crise" e que havia "sinais de envolvimento da Irmandade Muçulmana" no caso.

O grupo islâmico, que foi declarado uma organização terrorista pelo Estado, afirma que está comprometido com o ativismo pacífico.

Autoridades têm reprimido o grupo desde que o Exército derrubou o presidente Mohamed Mursi no ano passado. Depois disso, milhares de militantes islâmicos já foram presos e centenas, mortos.

Leia tudo sobre: MUNDOEGITOMORTESFAMILIAS

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas