Chile suspende alerta de tsunami após terremoto que matou ao menos 6

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Tremor de magnitude 8,2 aconteceu às 20h46; governo decreta estado de emergência em 3 regiões. Iquique foi a mais atingida

BBC

O Chile suspendeu o alerta de tsunami gerado após o forte terremoto ocorrido na noite de terça-feira (1), afirmou nesta quarta (2) o ministro do Interior do país, Rodrigo Penailillo. O total de mortos também subiu para seis, acrescentou ele.

Abalo: Terremoto que atingiu a costa do Chile deixa ao menos seis mortos

AFP
Chilenos tiveram de deixar suas casas após alerta de tsunami


Susto: Primeiras ondas do tsunami já atingem a costa chilena

O tremor de magnitude 8,2 ocorreu às 20h46 horário local (20h46 em Brasília), durou dois minutos e foi sentido em outros países, como Peru e Bolívia. O sismo sacudiu prédios na capital boliviana, La Paz - a mais de 470 km de Iquique, um das cidades mais atingidas no norte do Chile. Segundo autoridades, centenas foram evacuadas. Também há relatos de feridos.

Mais cedo, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, decretou estado de emergência em três regiões do norte do país. Autoridades disseram que entre os mortos estavam vítimas de desabamentos ou ataques do coração. A TV chilena mostrou imagens de engarrafamentos causados por pessoas querendo deixar as áreas afetadas.

O epicentro do tremor ocorreu no mar, a 89 quilômetros a sudoeste da cidade de Cuya, no norte do Chile. O terremoto ocorreu a 20 quilômetros de profundidade, de acordo com o serviço de monitoramento geológico dos Estados Unidos.

Tsunami

Após o terremoto, foi gerado na noite de terça um alerta de tsunami para o Chile e outros países da América Latina, como Equador, Peru e Costa Rica. Ondas de até dois metros de altura começaram a chegar à costa chilena imediatamente após o tremor. Nesta quarta, a Indonésia informou que poderia ser atingida por um "pequeno tsunami" gerado a partir do tremor no Chile.

Na madrugada desta quarta-feira, a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês) já havia cancelado o alerta de tsunami emitido para o Chile, Peru e outros países, mas manteve o aviso para o Havaí.

"Com base nos dados disponíveis, não se espera um grande tsunami no Estado (americano) do Havaí. No entanto, o nível do mar se altera e poderia produzir fortes correntes ao longo das costas que poderiam ser perigosas para nadadores e embarcações, assim como para as pessoas que estejam perto do mar", diz a nota da NOAA.

Confira imagens do abalo na galeria de fotos

Barcos foram lançados em terra firme por ondas após abalo sísmico no Chile (2/03). Foto: APOndas imensas acabaram levando os barcos para o cais, no Chile (2/03). Foto: APSobreviventes se abraçam após abalo de magnitude 8,2, em Iquique, Chile. Países como Peru e Bolívia também sentiram o abalo (2/03). Foto: APVeículos militares fazem ronda após terremoto em Iquique, Chile. Governo ordenou que regiões litorâneas fossem esvaziadas (2/03). Foto: APSobreviventes tentam se comunicar após terremoto de magnitude 8,2 no Chile (2/03). Foto: APRestaurante pega fogo após terremoto em Iquique, Chile (2/03). Foto: APVisão noturna da cidade de Iquique, Chile, após terremoto (2/03). Foto: AP

Evacuação

Na noite de terça-feira, o governo ordenou uma evacuação das áreas costeiras no norte do país por causa do risco de um tsunami. Outros sete tremores com 5,4 de magnitude foram registrados no norte do Chile após o terremoto principal.

Segundo autoridades do país, a cidade de Arica ficou sem energia, deslizamentos de terra bloquearam estradas e incêndios foram registrados em Iquique. Cerca de 300 prisioneiras se aproveitaram do terremoto para fugir de uma prisão em Iquique, segundo o ministro do Interior, Rodrigo Penailillo. Por sua vez, a empresa LAN cancelou voos a Arica e Iquique.

Cinturão de fogo

Situado numa área conhecida como Cinturão de Fogo do Pacífico, onde ocorrem 80% dos terremotos do mundo, o Chile é um país com atividades sísmicas frequentes. A região já estava em alerta por uma série de terremotos de intensidade média nas últimas semanas.

Em março, uma evacuação já havia sido ordenada depois que um terremoto com 6,4 de magnitude atingiu a mesma região do país, e 100 mil pessoas tiveram que deixar a área. Em 2010, um terremoto de 8,8 de magnitude foi seguido por um tsunami que gerou grande destruição em várias cidades costeiras do país.

Na ocasião, 524 pessoas morreram e 800 mil ficaram feridas. O tremor causou um prejuízo estimado de US$ 30 milhões (R$ 68 milhões).

Em 1960, uma área no sul do país foi atingida por um terremoto de 9,5 de magnitude, o que causou 1.655 mortes e um tsunami que atingiu o Japão e o Havaí.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas