Eleições na Turquia registram oito mortes

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Primeiro-ministro Erdogan busca apoio dos eleitores turcos em meio a escândalos de corrupção e vazamento de informações

Reuters

Oito pessoas morreram em confrontos isolados na Turquia neste domingo, durante as eleições municipais que o primeiro-ministro Tayyip Erdogan espera que o fortaleça, em meio a escândalos de corrupção e a vazamentos de informações do setor de segurança que afetaram negativamente o governo.

A eleição pode ter o efeito de um referendo sobre o governo de Erdogan e o seu partido de origem islâmica, AK. Ele cruzou o país durante as semanas de campanha para mobilizar os seus eleitores conservadores.

REUTERS/Murad Sezer
Eleição pode ter o efeito de um referendo sobre o governo de Erdogan

A votação se deu de forma pacífica na maior parte do país, mas conflitos ocorreram entre grupos rivais em duas vilas perto da fronteira com a Síria. Seis pessoas foram mortas num tiroteio na província de Sanliurfa, e mais duas morreram na vila de Hatay, segundo autoridades da área de segurança.

Os confrontos se deram por conta de posições em assembleias locais e não tiveram relação direta com a atual crise nacional.

O apoio a Erdogan será crucial para a sobrevivência do seu partido e também para a sua possível candidatura a presidente nas eleições de agosto.

"O que importa é o que as pessoas dizem hoje, e não o que foi dito nas praças das cidades", afirmou Erdogan à imprensa, ao votar em Istambul, acompanhado de simpatizantes.

Erdogan removeu cerca de 7 mil pessoas do Judiciário e da polícia desde as ações anticorrupção que ocorreram em dezembro contra empresários próximos ao governo e filhos de ministros.

Ele culpa pelas ações o clérigo islâmico, com base nos Estados Unidos, Fethullah Gulen, um ex-aliado, que, segundo o premiê, está usando a polícia para derrubar o seu governo.

Leia tudo sobre: MUNDOTURQUIAELEICAOERDOGAN

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas