Empresa não esconde nada sobre voo desaparecido, diz CEO da Malaysia Airlines

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O presidente da companhia Ahmad Jauhari Yahya disse ainda que seu possível afastamento do cargo é uma 'decisão pessoal'

BBC

O presidente da Malaysia Airlines, companhia aérea do voo MH370 que desapareceu na Ásia em 8 de março com 239 pessoas a bordo, disse em entrevista exclusiva à BBC que a empresa "não está escondendo nada" sobre o voo e que seu possível afastamento do cargo é uma "decisão pessoal" que será decidida "depois".

Hoje: Parentes de passageiros entram em choque com a polícia chinesa

BBC
O CEO da Malaysia Airlines disse à BBC que tem certeza que o voo MH370 está desaparecido


Premiê da Malásia: Avião caiu no sul do Índico e não há sobreviventes

Ahmad Jauhari Yahya disse que não deixará o cargo agora pois "há coisas a serem feitas" e qualificou de injustas as dúvidas levantadas por familiares dos passageiros de que as autoridades malaias, e ele próprio, não estão divulgando todas as informações sobre o desaparecimento.

Galeria de fotos: Saiba quais são os desastres aéreos mais misteriosos do mundo

"Nós estamos fazendo tudo que podemos, dentro das nossas possibilidade, para ajudá-los", disse, se referindo aos parentes dos passageiros. E ressaltou: "É importante lembrar que em incidentes como esse há sempre pistas, e nesse caso, não tivemos nenhuma até, provavelmente, a noite passada (segunda-feira)".

Buscas suspensas

Em coletiva realizada na segunda-feira (24), o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, disse que uma análise de dados de satélite confirma que o avião da Malaysia Airlines caiu em águas remotas do Oceano Índico, no oeste da Austrália.

Veja o drama das famílias dos passageiros desaparecidos 

Parentes de passageiros chineses do voo desaparecido da Malásia choram durante protesto em frente de embaixada do país em Pequim (25/3). Foto: APIrmã de passageiro de avião desaparecido da Malásia chora ao assistir programa sobre o voo MH370 em sua casa em Medan, Sumatra do Norte, Indonésia (25/3). Foto: APChinesa é amparada por seus familiares após pronunciamento do premiê malaio que confirmou a queda do voo da Malaysia Airlines, em Pequim, China. Foto: APChinesa entra em desespero ao saber que o avião desaparecido da Malaysia Airlines caiu no oceano Índico, após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: APParentes das vítimas do voo se desesperam ao saber da queda do avião no Índico, em Pequim, China. Foto: ReutersHomem se desespera ao saber que avião desaparecido da Malaysia Airlines caiu no Índico após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: ReutersFamiliares não se conformam com a queda do avião da Malaysia Airlines. Na foto, parentes após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: ReutersParente de passageiro do voo da Malaysia Airlines fica em estado de choque ao saber que avião caiu no Índico após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: ReutersFamílias dos passageiros são amparados após saberem da queda do avião em coletiva de imprensa na China. Foto: ReutersFamiliares se abraçam após saberem da queda do voo desaparecido da Malaysia Airlines, em Pequim, China. Foto: ReutersMulher chora durante coletiva de imprensa sobre o desaparecimento do voo da Malaysia Airlines durante coletiva de imprensa na China (22/03) . Foto: ReutersFamiliar de um dos passageiros a bordo do voo desaparecido da Malaysia Airlines aguarda por novas informações em Pequim, China (22/03). Foto: ReutersParentes das vítimas do voo da Malaysia Airlines rezam enquanto aguardam por mais informações, em Pequim, China (22/03). Foto: ReutersParentes dos passageiros a boardo do voo da Malaysia Airlines assistem à noticiário sobre o avião em Pequim, China (17/03) . Foto: APParentes dos chineses a bordo do avião que havia desaparecido aguardam notícias em Pequim, China (março/2014). Foto: APFamiliares dos passageiros a bordo do voo da Malaysia Airlines deixam sala de hotel após reunião com oficiais malaios, em Pequim, China (março/2014). Foto: APParente de um dos passageiros chineses no voo da Malaysia Airlines chora em frente de jornalistas em Sepang, Malásia (março/2014). Foto: AP

Segunda: Austrália avista 'novos objetos' que podem ser do voo desaparecido no Índico

"É com grande tristeza e pesar que eu tenho que informar a vocês que, de acordo com novos dados, o voo MH370 chegou a seu fim no sul do Oceano Índico", disse Razak.

O pronunciamento foi feito cinco dias depois terem sido iniciadas buscas na região. "É uma localização remota, longe de qualquer lugar possível de aterrissar", explicou o primeiro-ministro. Nesta terça-feira (25), as buscas pelo avião da Malaysia Airlines no Oceano Índico foram suspensas devido ao mau tempo.

A Autoridade de Segurança Marítima na Austrália (Amsa, na sigla em inglês), que está comandando as buscas, disse que fortes ventos e chuva impedem aviões de voar com segurança.

Leia tudo sobre: malaysia airlinesbuscasaviaoceoyahyaentrevista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas