Nº de desaparecidos pode caiar: muitos teriam sido contados 2 vezes ou demorado a avisar autoridades sobre seu paradeiro

Reuters

Equipes de resgate vasculham a lama e os escombros nesta terça-feira em busca de sobreviventes do devastador deslizamento do fim de semana no noroeste dos EUA, mas a chance de encontrar vítimas com vida é cada vez menor.

Vítimas: Deslizamento de terra atinge Washington, EUA

O incidente deixou ao menos 14 mortos, mas há até 176 desaparecidos desde que o excesso de chuvas fez um morro desmoronar na manhã de sábado, engolindo dezenas de casas nos arredores da localidade de Oso, segundo John Lovick, gestor do condado de Snohomish.

Agora, há também temores de uma inundação que complique os trabalhos de resgate, já que a água está subindo por trás da barreira de lama e entulho que se acumulou no rio Stillaguamish perto da área do deslizamento, a cerca de 90 quilômetros de Seattle.

As autoridades esperam que o número de desaparecidos diminua, pois muita gente teria sido contabilizada duas vezes na lista ou teria demorado a avisar parentes e autoridades sobre seu paradeiro.

As equipes de resgate, que usam cães, máquinas e aeronaves, não conseguiram encontrar mais ninguém na manhã desta terça. "É um momento extremamente difícil e emotivo para as famílias e amigos daqueles que foram impactados pelo deslizamento de Oso", disse o governador do Estado de Washington, Jay Inslee, em nota.

O presidente Barack Obama, em visita à Europa na segunda-feira, assinou uma declaração de emergência ordenando que o governo federal forneça assistência aos esforços estaduais e locais de resgate, segundo a Casa Branca. Mais de cem imóveis foram atingidos pelo deslizamento, que deixou oito feridos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.