Buscas por voo desaparecido da Malásia se expandem da Austrália ao Casaquistão

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Hemisférios norte e sul fazem parte da área de buscas. Para a França, comunicadores do avião foram cortados de propósito

As buscas pelo voo desaparecido da Malásia foram expandidas para os hemisférios norte e sul nesta segunda-feira (17). A Austrália assumiu a liderança das buscas e vasculha mares do sul do Oceano Índico e do Casaquistão, respondendo ao apelo da Malásia para ajudar na caçada do voo MH370.

Ontem: Piloto falou com controle após sistema de sinalização ser desligado, diz jornal

AP
Parentes dos passageiros chineses a bordo do voo da Malaysia Airlines MH370 esperam por novas informações em hotel de Pequim, China


Investigações: Buscas por avião desaparecido já envolvem 25 países

Investigadores franceses, que emprestam seus conhecimentos a partir das buscas pelo jato da Air France que caiu no Oceano Atlântico em 2009 e durou dois anos, disseram que os comunicadores do Malaysian airliners foram deliberadamente cortados.

"É muito diferente do caso Air France. A situação da Malásia é muito mais difícil", disse Jean Paul Troadec, assessor especial de investigação de acidentes da aviação da França, em Kuala Lumpur.

Autoridades da Malásia disseram que o boeing com 239 pessoas foi propositadamente desviado da sua trajetória de voo - avião saiu de Kuala Lumpur com destino a Pequim no último dia 8 de março - e as suspeitas recaem sobre alguém com experiência em aviação, principalmente o piloto e o co-piloto.

A polícia malaia confiscou um simulador de voo da casa do piloto no sábado (15) e também foi a casa do co-piloto, no que o chefe da polícia da Malásia, Khalid Abu Bakar, disse ter sido a primeira averiguação policial nos locais. O governo emitiu um comunicado nesta segunda-feira (17) contradizendo essa informação, dizendo que a polícia visitou pela primeira vez a casa dos pilotos em 9 de março, um dia após o desaparecimento do avião.

Investigadores não descartam sequestro ou sabotagem e estão verificando antecedentes de todos os 227 passageiros e dos 12 membros da tripulação, bem como a equipe de terra, para averiguar se há ligações com grupos terroristas, além de problemas pessoais ou psicológicos.

Confira fotos sobre o voo desaparecido

Parente de passageiros chineses do voo desaparecido chora em frente de jornalistas em hotel em Sepang, Malásia (19/3). Foto: APParente de passageiros chineses de voo desaparecido da Malásia usa celular para assistir à coletiva sobre o caso em Pequim (17/3). Foto: APOficial das Forças Armadas do Vietnã olha pela janela durante buscas pelo voo desaparecido da Malaysia Airlines (14/3). Foto: APHomem observa telão mostrando diferentes decolagens no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, Malásia (13/3). Foto: ReutersParentes dos passageiros a bordo do voo desaparecido da Malaysia Airlines deixam sala de hotel após reunião com oficiais malaios, em Pequim, China (12/3). Foto: APFotos de passageiros do voo da Malaysia Airlines que desapareceu no sábado são mostradas em coletiva em Chennai, Índia (12/3). Foto: APDiretor geral do departamento de aviação civil da Malásia, Azharuddin Abdul Rahman, explica rota do avião em coletiva de imprensa (10/03). Foto: APMembro da tripulação da Marinha indonésia observa águas na fronteira da Indonésia, Malásia e Tailândia durante buscas por avião (10/3). Foto: APParentes dos chineses a bordo do avião desaparecido da Malaysia Airlines aguardam notícias em sala de um hotel de Pequim, China (10/3). Foto: APMancha de óleo encontrada no fim de semana ao sul do Vietnã provou não ser de avião (9/3). Foto: APEquipes de resgate participam das buscas por vestígios do avião desaparecido com 239 pessoas a bordo (9/3). Foto: APEquipes de resgate participam das buscas por vestígios do avião desaparecido com 239 pessoas a bordo (9/3). Foto: APEquipes de resgate participam das buscas por vestígios do avião desaparecido com 239 pessoas a bordo (9/3). Foto: APEquipes de resgate participam das buscas por vestígios do avião desaparecido com 239 pessoas a bordo (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines se desesperam à espera de informação das buscas (9/3). Foto: APJornais trazem informações do desaparecimento do avião na Malásia (9/3). Foto: APMovimentação no aeroporto de Pequim no domingo (9/3). Foto: APParente de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguarda informação das buscas (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APParentes se desesperam com falta de informações sobre voo desaparecido (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APParentes de passageiros do voo da Malaysia Airlines desaparecido aguardam por informação das buscas (9/3). Foto: APFamiliares de passageiros se desesperam com o sumiço do voo da Malaysia Airlines (8/3). Foto: ReutersFamiliares de passageiro no aeroporto de Pequim, na China (8/3). Foto: ReutersFicha do avião de passageiros da Malásia que desapareceu com 239 pessoas a bordo (8/3). Foto: DivulgaçãoAvião como o desaparecido na Ásia (8/3). Foto: APO primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, chega ao centro de recepção para a família e amigos dos passageiros a bordo da aeronave (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APMapa mostra a última posição informada do voo MH370 (8/3). Foto: APO ministro dos Transportes da Malásia, Hishammuddin Hussein, à direita, fala durante coletiva (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam por informações do vôo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim. Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APParentes de passageiros buscam informações do voo MH370 da Malaysia Airlines que voava para Pequim (8/3). Foto: APNotificação no Aeroporto Internacional de Pequim avisando de atraso do voo MH370, da Malaysia Airlines (8/3). Foto: APExecutivo da Malaysia Airlines dá informações sobre as buscas para os jornalistas (8/3). Foto: APPlaca de pouso no Aeroporto Internacional de Pequim, na China, aponta atraso na chegada de avião de passageiros de companhia da Malásia (8/3). Foto: AP

Reviravolta: Desaparecimento de avião foi proposital, diz premiê da Malásia

O CEO da Malaysian Airlines, Ahmad Jauhari Yahya, disse em uma coletiva de imprensa nesta segunda que uma investigação inicial indica que o co-piloto, Fariq Abdul Hamid, foi quem proferiu as últimas palavras do voo - "Tudo bem, boa noite" - para os controladores em terra.

Funcionários anteriormente haviam dito que essa última comunicação havia acontecido no momento em que um dos sistemas de comunicação de dados do jetliner foi desligado, o que aguçou as suspeitas de que um ou ambos os pilotos poderiam estar envolvidos no desaparecimento do avião. Ao que tudo indica, quem falou as palavras estava enganando o controle de solo. No entanto, não está claro se o sistema poderia ter sido desligado por um dos pilotos - ou outra pessoa - sem o conhecimento do outro piloto.

O governo da Malásia, porém, enviou telegramas diplomáticos a todos os países envolvidos nas buscas, pedindo dados de radar que possam ajudar a esclarecer esse mistério. Cerca de 26 países estão envolvidos nas buscas, que inicialmente focava nos mares de ambos os lados da península da Malásia - o Mar do Sul da China e o Estreito de Malaca.

No último final de semana, o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anunciou que satélite captou um sinal fraco da aeronave desaparecida cerca de 7 horas e meia após sua decolagem. O sinal indicou que o avião estaria em algum lugar do vasto arco que se estende entre o Casaquistão até a parte sul do Oceano Índico.

O ministro da Defesa malaia, Hishammuddin Hussein, anunciou nesta segunda que as buscas por ambos os trechos - norte e sul - do arco havia começado, com os países da Austrália até o Casaquistão aderindo à caçada.

Caso o avião tenha ido ao noroeste da Ásia Central, poderia ter atravessado países com espaço aéreo ocupado, e alguns especialistas acreditam que a pessoa que controlava a aeronave nesse momento teria escolhido ir para o sul. No entanto, as autoridades continuam investigando ao norte e estão esperando por dados de radar que possam confirmar ou informar o trajeto da aeronave.

O corredor de buscas ao norte atravessa países como a China, Índia e Paquistão - todos têm indicado que nenhum sinal do avião foi capturado até agora.

*Com BBC e AP

Leia tudo sobre: voo desaparecidobuscasaustraliafrancahusseinyahyahamidcasaquistaomalaysia airlines

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas