Nour Mohammad Mehrdad buscava asilo na Europa. Ainda não há informações sobre 2º passageiro com documento roubado

Um dos homens que embarcaram com um passaporte roubado no voo desaparecido da Malaysia Airlines era um adolescente iraniano que tentava imigrar para buscar asilo político na Alemanha e parece não ter nenhuma relação com o terrorismo, disse a polícia nesta terça-feira (11).

Ontem: Iraniano comprou passagens de voo para homens com passaportes roubados

À esq., iraniano de 19 anos, Nour Mohammad Mehrdad e à dir., Delavar Seyedmohammaderza, de 29. Ambos embarcaram com passaportes roubados, na Malásia
AP
À esq., iraniano de 19 anos, Nour Mohammad Mehrdad e à dir., Delavar Seyedmohammaderza, de 29. Ambos embarcaram com passaportes roubados, na Malásia


Pequim: China pede que Malásia intensifique as buscas por voo desaparecido

De acordo com o chefe da polícia da Malásia, Khalid Abu Bakar, as investigações determinaram que o iraniano Pouria Nourmohammadi Mehrdad, de 19 anos, planejava imigrar para a Alemanha em busca de asilo.  “Acreditamos que ele não é membro de nenhum grupo terrorista”, afirmou Khalid.

Ele disse que a mãe do jovem esperava por ele em Frankfurt e tem mantido contato com a polícia. Ele disse que a mulher contatou as autoridades da Malásia para informar sobre sua preocupação com a falta do filho em entrar em contato.

É provável que o anúncio de Khalid enfraqueça, pelo menos por enquanto, especulações de que o desaparecimento do Boeing 777 está ligado a uma ação terrorista. A polícia ainda não tem mais informações sobre o segundo passageiro que também embarcou com um passaporte roubado, Delavar Seyedmohammaderza, de 29 anos. Ambos compraram suas passagens na Tailândia e entraram juntos na Malásia com passaportes iranianos.

O chefe da polícia negou também a informação previamente divulgada de que ao menos um outro funcionário do governo e cinco passageiros teriam feito check in para o voo, mas nunca embarcaram.

Nenhum destroço do avião foi encontrado até agora. Nesta terça-feira, autoridades perplexas expandiram as buscas até o lado oposto da Malásia, de onde desapareceu o avião no último sábado (8), com 239 pessoas a bordo.

Veja as imagens sobre o desaparecimento do avião:

Dor: Chineses reclamam por falta de notícias sobre voo desaparecido na Malásia

A companhia aérea disse que o piloto não enviou nenhum sinal de socorro, o que sugere um incidente repentino e possivelmente catastrófico. Especulações sobre o desaparecimento incluem possível erro do piloto, falha mecânica no avião, sequestro e terrorismo.

O voo partiu de Kuala Lumpur, costa oeste da Malásia, no sábado de manhã com destino a Pequim, na China. O voo cruzou a Malásia no Golfo da Tailândia, a 35 mil pés (11 mil metros de altura) e, em seguida, desapareceu dos radares. Autoridades têm dito que o avião pode ter tentado voltar para Kuala Lumpur.

Interpol

A Interpol divulgou uma imagem dos dois iranianos que viajavam com passaportes roubados. A foto mostra ambos iranianos embarcando no avião ao mesmo tempo. O secretário-geral do órgão, Ronald K. Noble, disse nesta terça-feira que ambos viajaram para a Malásia com passaportes iranianos e aparentemente os trocaram pelos documentos de origem austríaca e italiana que haviam sido roubados.

Erro: Malásia investiga possível falha de segurança em aeroporto após sumiço de avião

Noble disse que as informações recentes sobre os homens atenuam a suspeita de que um ataque terrorista está relacionado ao desaparecimento do voo. Mas isso não alivia as preocupações sobre a facilidade com que a dupla embarcou com passaportes roubados.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.