Ex-presidente da Ucrânia pediu proteção contra 'extremistas'. Na Crimeia, grupos pró-Rússia tomam prédios governamentais

A Rússia concordou em garantir a segurança pessoal do presidente ucraniano destituído do poder , Viktor Yanukovych, informaram agências de notícias russas nesta quinta-feira (27). "Em relação ao pedido do presidente Yanukovych para que sua segurança pessoal seja garantida, eu informo que a solicitação foi aceita em território da Federação Russa", disse a fonte, segundo a agência de notícias Interfax.

Pró-Rússia : Homens armados tomam prédios do governo na Crimeia

Bandeira russa hasteada em topo de um prédio do governo tomado por manifestantes, em Simferopol, Crimeia, na Ucrânia
AP
Bandeira russa hasteada em topo de um prédio do governo tomado por manifestantes, em Simferopol, Crimeia, na Ucrânia



Terça-feira: Presidente interino da Ucrânia alerta para 'série ameaça de separatismo'

De acordo com a agência, o ex-presidente Viktor Yanukovych, deposto após três meses de protestos na Ucrânia, estava hospedado nos arredores de Moscou. “Eu tive de pedir proteção russa para garantir minha integridade contra extremistas”, Yanukovych disse em comunicado divulgado. Ele afirmou que ainda se considera o presidente legítimo da Ucrânia.

Veja imagens dos protestos que derrubaram o presidente da Ucrânia:

Rússia: 'Não forcem Ucrânia a escolher entre nós e o Ocidente'

Enquanto isso, dezenas de homens fortemente armados tomaram o controle de edifícios governamentais na região da Crimeia e hastearam a bandeira da Rússia. Os movimentos representam um desafio imediato para as novas autoridades da Ucrânia, cuja população é dividida por grupos leais à Rússia e ao Ocidente.

Oleksandr Turchynov, presidente interino da Ucrânia, condenou a tomada dos prédios na Crimeia como um “crime contra o governo ucraniano”. Ele alertou que qualquer movimentação das tropas russas fora de sua base na Crimeia “será considerada uma agressão militar”.

"Pessoas não identificadas com armas automáticas, explosivos e granadas tomaram os edifícios governamentais e do Parlamento na região autônoma da Crimeia", disse. "Eu dei ordens para os militares usarem todos os métodos necessários para proteger os cidadãos, punir os criminosos e liberar os edifícios."

*Com AP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.