Pastas com finanças de Viktor Yanukovych foram encontradas. Entre os gastos estão milhões de dólares para mobiliar barco

BBC

Documentos que foram descartados em um rio, após o afastamento do presidente Viktor Yanukovych do poder na Ucrânia, foram resgatados e levados para secar na sauna privada da mansão do ex-mandatário . Mergulhadores recuperaram milhares de páginas que contêm detalhes sobre as finanças de Yanukovych e que agora estão sendo digitalizados e analisados.

'Proteção':  Viktor Yanukovych está na Rússia, diz agência de notícias do país

O interior do barco-restaurante, ancorado próximo à casa do ex-líder ucraniano Viktor Yanukovych
BBC
O interior do barco-restaurante, ancorado próximo à casa do ex-líder ucraniano Viktor Yanukovych

Pró-Rússia: Homens armados tentam tomar prédios do governo na Crimeia

O repórter investigativo local Oleg Khomenok, da organização Internews, disse ao correspondente da BBC Steve Rosenberg que os documentos revelam "despesas exageradas ou altíssimas". 

Segundo Khomenok, foram recuperadas cerca de 160 pastas de documentos, cada um com um volume de 100 a 500 folhas. "Se não resgatássemos os documentos em 72 horas, eles se desintegrariam", disse. Voluntários separaram folha por folha e acrescentaram papéis secos para absorver a umidade. "Colocamos os documentos na sauna para que sequem mais rápido", contou Khomenok.

Veja imagens dos protestos que derrubaram o presidente da Ucrânia:

Parte dos papéis teria sido queimada como parte de um plano inicial, substituído pela ideia de se jogar documentos no rio. Em seguida, os voluntários fizeram cópias digitais dos documentos.

Segundo Khomenok, os papéis resgatados são documentos financeiros, de empresas e entidades de caridade que seriam usadas para recolher recursos para reformas na residência de Yanukovych. "Esses documentos podem revelar como funcionava a rede de empresas envolvidas nessas transações financeiras."

Entre os gastos, está a compra de US$ 6 milhões em móveis para um barco-restaurante estacionado no rio próximo. Parte dos documentos foi queimada, mas, de acordo com o jornalista, na pressa de sair da residência oficial, empregados teriam jogado os papéis em um rio, já que não teriam tempo de incinerar todas as pastas.

O ex-presidente é acusado de ser responsável por dezenas de mortes durante os confrontos violentos entre a polícia e manifestantes que aconteceram no país ao longo de sua crise política.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.