Procurador-geral em exercício no país, Oleh Makhnytsky diz que ex-presidente pode ter roubado bilhões dos cofres públicos

A Ucrânia vai entrar em contato urgentemente com organizações internacionais e solicitar oficialmente ajuda para rastrear contas bancárias e bens controlados pelo presidente deposto Viktor Yanukovych e seus aliados, disse nesta quarta-feira (26) o procurador-geral em exercício do país, Oleh Makhnytsky.

Crise: Presidente interino da Ucrânia alerta para 'série ameaça de separatismo'

Confira as manifestações na Ucrânia em fotos

Manifestações: Partidários rivais realizam protestos na Crimeia, Ucrânia

Em entrevista à Reuters, ele disse que todos os acordos comerciais fechados durante o governo de Yanukovych serão revisados, e acusou o ex-líder e aliados de roubarem "não milhões, mas bilhões" do país.

"Nós vamos checar tudo: todos os esquemas do antigo regime... Estamos fazendo essas checagens porque toda atividade do antigo regime foi construída com corrupção total", disse.

Possível divisão

Em discurso diante do Parlamento, o presidente interino da Ucrânia, Olexander Turchynov, avisou que existe uma "séria ameaça" de separatismo no país.

Seu comentário foi feito em meio à contínua resistência de regiões ucranianas onde vivem grupos étnicos russos em aceitar o novo governo em Kiev. Na Península da Crimeia e em outras áreas pró-Rússia, protestos vêm sendo realizados contra a deposição do ex-presidente Viktor Yanukovych.

A resistência nessas regiões do país se sustenta na forte oposição do governo russo às mudanças que aconteceram na Ucrânia. O primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, disse na segunda-feira que os membros da nova administração federal conduziram uma "revolta armada" na Ucrânia.

*Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.