Primeiro-ministro do Egito renuncia durante discurso à TV estatal

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Hazem Beblawi não explicou o motivo de sua saída do Governo egípcio. Decisão foi tomada após reunião de 15 minutos

O primeiro-ministro interino do Egito, Hazem Beblawi, anunciou inesperadamente sua demissão do governo nesta segunda-feira (24). Durante seu discurso televisionado, Beblawi não alegou nenhuma razão para sua saída. Mas a notícia veio após uma série de ataques contra seu governo, incluindo trabalhadores do setor público e coletores de lixo.

Crise: Em corte, Morsi diz ser presidente legítimo do Egito; atiradores matam general

AP
O então primeiro-ministro interino egípcio Hazem el-Beblawi discursa durante conferência no Cairo, Egito (24/12/2013)


Carro-bomba: Explosões deixam ao menos seis mortos na capital do Egito

O jornal do Estado al-Ahram disse que ele foi requisitado para continuar no cargo até que um sucessor seja nomeado. Beblawi, assumiu em julho de 2013 após derrubada do então presidente Mohammed Morsi por militares, e onda de protestos da oposição.

“Responsabilidade difícil”

Em seu discurso, Beblawi reconheceu que o Egito havia testemunhado um aumento acentuado do número de greves, mas disse que nenhum governo do mundo poderia ter cumprido todas as exigências de seu povo em um curto período de tempo.

“O gabinete tem tido, ao longo dos últimos seis ou sete meses, uma responsabilidade muito difícil sobre os ombros...na maioria dos casos, os resultados foram bons”, ele disse. O objetivo, acrescentou, era levar o Egito até a saída de um "túnel estreito" provocada pela insegurança, pressões políticas e econômicas.

Beblawi tem sido criticado pela mídia local por sua indecisão notória e incapacidade de lidar com os problemas econômicos do país. O jornal Al-Ahram, sem citar fontes, informou que ele seria substituído pelo ministro da Habitação, Ibrahim Mihlib.

Fontes também disseram que a decisão foi tomada após uma reunião de gabinete com 15 minutos de duração. O chefe do Exército, marechal de campo Field Marshal Abdul Fattah al-Sisi, que deve concorrer à Presidência, participou do encontro por ser o atual ministro da Defesa.

*Com Reuters e BBC


Leia tudo sobre: egitorenunciaahramal-sisi

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas