O presidente Yanukovych disse neste sábado (22) na TV que está sendo vítima de um golpe

BBC

Viktor Yanukovych diz ter sido vítima de golpe
AP
Viktor Yanukovych diz ter sido vítima de golpe

Deputados ucranianos votaram para derrubar o presidente Yanukovych e realizar eleições presidenciais antecipadas em 25 de maio - conforme exigiam os líderes da oposição.

A votação aconteceu apenas uma hora depois de Yanukovych afirmar, em um discurso transmitido pela televisão, que ele não iria renunciar.

A oposição está efetivamente no controle da capital Kiev e do parlamento. Os manifestantes entraram hoje em edifícios oficiais e residenciais do presidente, sem sofrer resistência.

Yanukovych deixou Kiev e agora está na cidade oriental de Kharkiv, perto da fronteira com a Rússia.

Leia mais:  Manifestantes ucranianos tomam gabinete do presidente Yanukovich, em Kiev

Sumiu : Paradeiro de presidente ucraniano, Viktor Yanukovych, é desconhecido

Acordo: Presidente e oposição assinam acordo na Ucrânia, mas acampados mantêm ceticismo

O presidente ucraniano disse na TV, logo após às 16h na hora local (11h em Brasília), que os eventos que ocorrem hoje em Kiev são um "golpe". Ele afirmou ser o presidente legitimamente eleito e que ele não deixaria a Ucrânia, nem renunciaria.

Um acordo foi alcançado entre Yanukovych e líderes da oposição na sexta-feira, mas muitos manifestantes continuaram a exigir a sua demissão e a antecipeção das eleições para 25 de maio - e não sua realização até o final de dezembro, como previsto o pacto.

Um grupo de manifestantes de extrema direita ameaçou agir se o presidente não renunciasse. Na quinta-feira, a polícia abriu fogo contra manifestantes que vêm ocupando Praça da Independência, no centro de Kiev. O Ministério da Saúde disse que 77 pessoas - entre manifestantes e policiais - foram mortos desde terça-feira, na pior onda de violência desde que os protestos começaram em novembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.