Entidade afirma que, nos quase três anos de conflito, esse período das conversações de paz é o mais sangrento

Reuters

Mais de 140 mil pessoas, sendo mais de 7 mil crianças, foram mortas na guerra civil síria, disse o Observatório Sírio para Direitos Humanos no sábado. O Observatório, que é pró-oposição, disse que o período desde que as conversações de paz Genebra 2 começaram no mês passado tem sido o mais sangrento nos quase três anos de conflito.

Atrasos sobre armas químicas da Síria testam acordo entre EUA e Rússia

Entenda: Por que a Rússia e a China apoiam a Síria?

Presidente da Rússia desafia EUA a apresentar à ONU provas sobre Síria

O total de mortos agora é de 140.041, segundo o Observatório, que tem sede na Grã-Bretanha mas possui uma rede de ativistas por toda a Síria. Entre os mortos estão 7.626 crianças e 5.064 mulheres.

Crianças sírias carregam cartazes em apoio a Bashar al-Assad
STRINGER/IRAQ/REUTERS/Newscom
Crianças sírias carregam cartazes em apoio a Bashar al-Assad


A revolta contra o presidente Bashar al-Assad começou como protestos de rua pacíficos mas se tornou numa insurreição armada depois de uma feroz reação das forças de segurança do regime. Desde então ela se transformou em uma guerra civil com dimensões sectárias.

Os números do Observatório não puderam ser checados de forma independente pela Reuters. A Organização das Nações Unidas disse no mês passado que iria parar de atualizar o número de mortos na Síria porque as perigosas condições no país tornam impossível estimativas precisas.

O Observatório disse que todos os casos incluídos em sua contagem eram documentados com nomes e documentos de identificação, ou fotografias e vídeos. Disse ainda que o destino de dezenas de milhares de pessoas permanecia desconhecido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.