No sul, tormenta deixa 11 mortos, 772 mil consumidores sem luz e, em todo o país, mais de 4,4 mil voos cancelados

Depois de encher amplas áreas do sudeste, uma tempestade de inverno deixou cair mais de 30 centímetros de neve em partes da região do metrô da com a capital do país, Washington D.C. (Distrito de Columbia), enquanto se dirigia para Nova York e ameaçava mais quedas de luz, infernos no trânsito e fechamentos para milhões de moradores. Todos os escritórios federais da capital receberam a ordem de suspender seus trabalhos, e milhares de funcionários foram aconselhados a ficar em casa.

Quarta: Tempestade de gelo e neve atinge região sudeste dos EUA

 Corredores fazem jogging na neve em frente ao Lincoln Memorial, em Washington, EUA
AP
Corredores fazem jogging na neve em frente ao Lincoln Memorial, em Washington, EUA

Vídeo: Enquanto Brasil sofre com seca, chuvas e neve assolam Europa e EUA

A Filadélfia se prepara para receber até 28 cm de neve, enquanto os nova-iorquinos terão de lidar com mais de 38 cm. Boston também será atingida, com o risco de acumular mais de 20 cm até o fim do dia.

Desde quarta-feira, a tormenta, que primeiramente afetou o sul dos EUA , deixou no escuro 772 mil consumidores em 14 Estados e em D.C. A vasta maioria estava na Geórgia e nas Carolinas do Norte e Sul. O mau tempo deixou ao menos 11 mortos.

Em todo o país, mais de 4,4 mil voos foram cancelados para esta quinta, com o total tendo chegado a 3,4 mil na quarta. A companhia de trem Amtrak suspendeu seus serviços nas regiões nordeste novamente nesta quinta.

Dia 29: Tempestade de neve paralisa sul e torna rodovias 'cena de zumbis' 

Enquanto Atlanta pareceu ter aprendido as lições de uma tempestade paralisante há duas semanas , motoristas nas Carolinas experimentaram um pesadelo quando tentavam voltar para casa à noite, enquanto a tormenta fazia seu caminho para a costa leste. O fenômeno pareceu surpreender as pessoas apesar de dias de alertas.

Veja fotos da onda de frio nos EUA desde o início do ano:

Em janeiro: Frio polar deixa 21 mortos nos EUA

O presidente Barack Obama declarou zona de desastre na Carolina do Sul e em partes da Geórgia, abrindo caminho para auxílio federal.

Enquanto o sistema da tempestade se dirigia para o lado leste, o governador de Nova York, Andrew M. Cuomo, disse às agências estaduais para se preparar e pediu que os moradores não fazem viagens desnecessárias. O governo de New Jersey, Chris Christie, adotou um tom parecido.

*Com rede de TV CNN e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.