Síria manda para o exterior terceiro lote de armamento químico

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Potências do ocidente culpam presidente Bashar al-Assad por ataque com gás que matou centenas de pessoas

Reuters

A Síria mandou para fora do país nesta segunda-feira uma terceira remessa de materiais químicos e também destruiu alguns materiais em seu território, disse a missão internacional que supervisiona a eliminação de seu arsenal químico.

AP
Síria retira armamento químico em navio, após esforços internacionais


A Síria já atrasou em mais de um mês o cronograma para retirada de suas armas químicas, definido em um acordo internacional depois de um ataque com esse tipo de arma em Damasco, seis meses atrás. Diplomatas ocidentais disseram que os sírios iriam precisar fazer um embarque a cada dois dias para voltar a ficar com os prazos em dia.

Oposição síria acusa governo de matar centenas em ataque químico

Potências ocidentais culpam as forças do presidente Bashar al-Assad por um ataque com gás em agosto, no qual foram mortas centenas de pessoas, mas o governo diz que os rebeldes que tentam depô-lo foram os responsáveis.

A missão conjunta da Organização das Nações Unidas e da Organização para a Proibição das Armas Químicas informou que a remessa desta segunda-feira foi colocada em um navio cargueiro da Noruega, acompanhado por uma escolta de embarcações chinesas, dinamarquesas, norueguesas e russas.

Não foram dados detalhes da quantidade de material embarcado ou destruído. Até o anúncio desta segunda-feira, apenas cerca de 4 por cento do estoque declarado pela Síria, de 1.300 toneladas, havia sido removido do país.

Leia tudo sobre: mundosiriagasataqueretiradaarma quimica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas