Nova York apreende 3 mil aves em megaoperação contra briga de galo

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Lutas aconteciam duas vezes por mês em loja no Queens. Aves recebiam esteroides para melhorar desempenho

BBC

A polícia de Nova York apreendeu 3 mil aves durante a maior operação já feita na cidade contra rinhas de galo. Em uma das incursões, foi desmantelada uma tradicional briga de galo noturna em um porão de uma loja no bairro do Queens.

3 mil galos são resgatados em mega operação da polícia nova-iorquina para acabar com as brigas de galo, nos EUA. Foto: APAves foram resgatadas neste domingo (9), em NY. Foto: APBriga de galo noturna foi descoberta em porão de uma loja no bairro do Queen, em NY. Foto: APAves recebem os primeiros cuidados veterinários, em NY, EUA. Foto: APLocal onde as aves foram encontradas. Foto: APNove prisões foram decretadas e, NY, EUA, por causa das brigas de galo. Foto: AP

No local, a polícia descobriu galos dentros de sacos plásticos e com esporas de metal presas às suas patas. Pelo menos 70 pessoas foram encaminhadas à delegacia para averiguação e nove foram presas.

O promotor-geral de Nova York, Eric Schneiderman, afirmou que a investigação mapeou os locais onde se realizavam brigas de galo e suas conexões com outras atividades criminosas.

Carruagens de Nova York caminham para o fim; futuro dos cavalos ainda é incerto

"A briga de galo é uma prática cruel, abusiva e bárbara que tortura animais, coloca em perigo a saúde e a segurança das pessoas e também facilita outros crimes", afirmou Schneiderman.

Esteroides

A Operação, batizada de Angry Birds (“pássaros enraivecidos”, em tradução livre), em alusão ao popular jogo de celular homônimo, foi realizada no Queens, no Brooklyn e no Condado de Ulster, afirmou Schneiderman. Foi também a maior do gênero na história de Nova York, acrescentou ele.

No Queens, a polícia flagrou e desmantelou uma tradicional briga de galos noturna que vinha sendo realizada no porão de uma loja. Os policiais afirmaram que os donos dos galos se reuniam ali duas vezes por mês e costumavam injetar esteroides nos animais para aumentar seu desempenho.

Os apostadores também foram detidos e acusados formalmente. No local, a polícia também constatou a venda ilegal de bebidas alcóolicas. Segundo as autoridades, as apostas chegavam a US$ 10 mil (R$ 24 mil). 

Fazenda

Enquanto isso, 50 galos de briga foram apreendidos no subsolo de uma clínica veterinária no Brooklyn. A polícia afirmou que encontrou esporas e seringas. O dono do estabelecimento foi acusado pelo crime de incitar a briga entre animais, afirmaram os promotores.

As autoridades, que tiveram o apoio da Sociedade Americana pela Prevenção da Crueldade dos Animais (ASPCA) também estenderam a operação a uma fazenda próxima à cidade de Plattekill, no Condado de Ulster, onde os pássaros eram alimentados e treinados para brigar.

No local, a polícia apreendeu 3 mil aves e prendeu dois homens que cuidavam da propriedade. A ASPCA montou um abrigo temporário para receber e cuidar dos animais apreendidos.

"Nenhum animal deve ser forçado a lutar contra a morte, e nós estamos orgulhosos de cumprir um papel principal em remover e cuidar desses pássaros vitimizados, assim como oferecer assistência legal nesse caso", afirmou Matthew Bershadker, presidente da ASPCA, por meio de um comunicado.

Em Nova York, a rinha de galos e a posse de um galo de briga são crimes passíveis de quatro anos de prisão e multa de até US$ 25 mil (R$ 60 mil).

Leia tudo sobre: nyeuabriga de galopoliciadescoberta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas