Negociações de paz da Síria recomeçam em Genebra

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Perspectivas para consenso parecem improváveis já que rivais trocam acusações sobre violência do fim de semana

Os delegados do governo e da oposição sírios começaram uma nova rodada de negociações de paz mediadas pela ONU nesta segunda-feira, mas as perspectivas para um consenso pareceram improváveis à medida que os dois lados trocaram acusações sobre a violência do fim de semana que interrompeu a distribuição de alimentos para civis necessitados.

AP
Sírios retiram sobreviventes de prédio destruído por ataque aéreo do governo em Aleppo (8/2)

O mediador, o enviado da ONU e da Liga Árabe, Lakhdar Brahimi, começou a manter encontros separados a portas fechadas com as delegações do governo e da oposição para tentar estabelecer uma agenda para a semana.

Os primeiros encontros cara a cara foram retomados dez dias depois de ter-se atingido nada além do que colocar os dois lados em disputa na mesma sala.

Genebra: Síria e oposição trocam duras críticas no fim de conferência

A oposição insiste que o objetivo das negociações é concordar com um órgão de governo de transição que substituiria o presidente Bashar al-Assad. A delegação do governo quer dar ênfase a pôr fim ao "terrorismo", uma referência as rebeldes que lutam para depor Assad.

Brahimi pressionou por um acordo sobre suprimentos de ajuda durante a primeira rodada de negociações, no mês passado, com a esperança de que as medidas para a construção de confiança fossem criar um impulso, mas mesmo tais passos pequenos não foram alcançados durante o diálogo.

Sexta: Começa operação de retirada de civis da cidade sitiada de Homs

Um acordo foi alcançado na semana passada para um cessar-fogo de três dias nos redutos rebeldes de Homs para garantir a retirada de centenas de civis presos e a entrada de comboios com ajuda humanitária. Esse esforço foi interrompido no sábado quando caminhões com suprimentos para Homs ficaram sob fogo pesado. Ambos os lados trocaram acusações sobre quem era responsável.

Família síria acena a parentes após entrar em ônibus em direção a aeroporto para ir à Alemanha, onde foram aceitos como asilados temporários, em Beirute, Líbano (10/10). Foto: APTanque velho sírio é cercado por fogo após explosão de morteiros nas Colinas do Golan, território controlado por Israel (16/07). Foto: APCombatentes do Exército Sírio Livre carregam suas armas e se preparam para ofensiva contra forças leais a Assad em Deir al-Zor (12/07). Foto: ReutersCombatente do Exército Livre da Síria corre para buscar proteção perto de aeroporto militar de Nairab, em Aleppo (12/06). Foto: ReutersProtesto em Beirute contra a participação do Hezbollah na guerra síria (09/06). Foto: APFumaça é vista no vilarejo sírio de Quneitra perto da fronteira de Israel´(06/06). Foto: APLibanês foi ferido após segundo foguete de rebeldes sírios atingir sua casa em Hermel (29/05). Foto: APRefugiados sírios são abrigados em prédio da cidade turca de Reyhanli, perto da fronteira com a Síria (12/05). Foto: APHomens carregam ferido após explosão em cidade turca perto da fronteira síria (11/05). Foto: ReutersExplosão em cidade turca perto da fronteira com a Síria deixa dezenas de mortos (11/05). Foto: ReutersResidente caminha sobre destroços de prédios em rua de Deir al-Zor, Síria (09/05). Foto: ReutersCombatente do Exército Livre da Síria descansa em pilha de sacos de areia em campo de refugiados (06/05). Foto: APIsrael atacou instalações militares na área de Damasco, acusa Síria (05/05). Foto: BBCReprodução de vídeo mostra fumaça e fogo no céu sobre Damasco na madrugada deste domingo (05/05). Foto: APPresidente da Síria, Bashar al-Assad (D), visita universidade em Damasco (04/05). Foto: APReprodução de vídeo mostra corpos em Bayda, Síria (03/05). Foto: APBombeiros apagam fogo de carro em chamas em cena de explosão no distrito central de Marjeh, Damasco, Síria (30/04). Foto: APReprodução de vídeo mostra bombardeio em Daraya, Síria (25/04). Foto: APDruso carrega retrato do presidente sírio em que se lê 'Síria, Deus protege você', nas, Colinas do Golan (17/04). Foto: APFumaça e carros destruídos na praça Sabaa Bahrat, em Damasco, após explosão de carro-bomba (08/04). Foto: APMembro de Exército da Libertação da Síria segura arma em rua de Deir al-Zor (02/04). Foto: ReutersReprodução de vídeo mostra militantes do Exército Livre da Síria durante combates em Damasco (25/03). Foto: APManifestantes protestam contra Bashar al-Assad em Aleppo, na Síria (23/03). Foto: ReutersMesa de xeque Mohammad Said Ramadan al-Buti, aliado de Assad, é vista após ataque em Damasco (21/03). Foto: APSírio vítima de suposto ataque químico recebe tratamento em Khan al-Assal, de acordo com agência estatal (19/03). Foto: APSírias são vistos perto de corpos retirados de rio perto de bairro de Aleppo (10/03). Foto: APReprodução de vídeo mostra soldado do governo sírio morto em academia de polícia em Khan al-Asal, Aleppo (03/03). Foto: APHomem chora em local atingido por míssil no bairro de Ard al-Hamra, em Aleppo, Síria (fevereiro). Foto: ReutersMembro do Exército Livre da Síria aponta arma durante supostos confrontos contra forças de Assad em Aleppo (26/02). Foto: ReutersMembros de grupo islâmico seguram armas durante protesto contra regime em Deir el-Zor (25/02). Foto: ReutersMorador escreve em lápide nome de neta morta em ataque contra vila em Idlib, Síria (24/02). Foto: APChamas e fumaça são vistas em local de ataque no centro de Damasco, Síria (21/02). Foto: APRebeldes do Exército Livre da Síria preparam munições perto do aeroporto militar de Menagh, no interior de Aleppo (25/01). Foto: ReutersRebeldes da Frente al-Nusra, afiliada à Al-Qaeda, seguram sua bandeira no topo de helicóptero da Força Aérea da Síria na base de Taftanaz (11/01). Foto: APCrianças sírias viajam em caminhonete em Aleppo (02/01). Foto: Reuters

Cidade sitiada: Sírios ‘comem grama’ para enfrentar fome em Homs

O esforço para a entrega de ajuda foi retomado no domingo, com mais de 600 pessoas retiradas de Homs. A violência nesta semana também prejudicou a entrega de alimentos da ONU para o sitiado acampamento de refugiados palestinos de Yarmouk, perto de Damasco.

Os confrontos em todo o país escalaram desde a primeira rodada de negociações, durante a qual quase 2 mil foram mortos, de acordo com ativistas.

Nova resolução

O ministro de Relações Exteriores francês, Laurent Fabius, disse que vai circular uma nova resolução no Conselho de Segurança da ONu para ajudar o envio de auxílio, alimentos e remédios para a população síria.

Fabius disse que a França trabalha com "várias nações" sobre a proposta, mas não forneceu detalhes sobre o texto planejado.

Leia tudo sobre: síriamundo árabeprimavera árabeassad

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas