Entre beneficiários estão família, membros de sua equipe, escolas que frequentou e partido governista sul-africano

Os administradores dos bens de Nelson Mandela disseram que ele deixou iniciais US$ 4,1 milhões de herança (quase R$ 9,87 milhões), mais direitos autorais, e que entre seus beneficiários estão sua família, membros de sua equipe, escolas que ele frequentou e o Congresso Nacional Africano, o movimento de libertação durante o regime do apartheid que hoje é o partido que governa a África da Sul.

Ícone antiapartheid da África do Sul:  Morre aos 95 anos Nelson Mandela

Estátua: Coelho na orelha de Mandela revolta governo sul-africano

Sua herança inclui um imóvel de luxo em Johanesburgo, uma casa modesta na província do Cabo Oriental e direitos autorais de seus livros, incluindo a autobiografia "Longa Caminhada Até a Liberdade". Mais do que isso, ele deixa também uma forte marca política e moral, que alguns dos seus mais de 30 filhos, netos e bisnetos já usam para vender de tudo - de roupas a reality shows.

'Gigante da História': Obama pede ação do mundo para honrar Mandela

O administrador Dikgang Moseneke também afirmou nesta segunda-feira que não tem conhecimento sobre quaisquer constetações às determinações do testamento do líder antiapartheid que se tornou o primeiro presidente negro da África do Sul. Mandela morreu em 5 de dezembro aos 95 anos.

Moseneke disse aos jornalistas que ele lerá o testamento para os membros da família de Mandela ainda nesta segunda. Ele anunciou um "inventário provisório" de US$ 4,1 milhões, mais quantias adicionais, mas fez a ressalva de que a soma pode mudar à medida que o testamento foi estudado de forma mais cuidadosa.

*Com AP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.