Presidente dos EUA acusa rede de TV Fox News de manter vivas polêmicas que a Casa Branca considera superadas

Reuters

O presidente dos EUA, Barack Obama, acusou no domingo a Fox News de manter vivas polêmicas que a Casa Branca considera superadas, durante uma tensa entrevista que foi ao ar antes do Super Bowl , o mais importante evento esportivo do país.

Discurso: Obama ataca desigualdade social e avisa que agirá sem o Congresso

Presidente dos EUA, Barack Obama, deixa plenário da Câmara após proferir discurso sobre o Estado da União em Washington (28/1)
AP
Presidente dos EUA, Barack Obama, deixa plenário da Câmara após proferir discurso sobre o Estado da União em Washington (28/1)

Leia: Obama tenta superar legado de 2013 ao iniciar últimos anos de governo

O âncora Bill O'Reilly perguntou a Obama por que ele não demitiu a secretária de Saúde depois das trapalhadas no lançamento do plano Obamacare, se há "corrupção generalizada" no IRS (Receita Federal) e se a Casa Branca tentou atenuar a importância do atentado de 2012 ao consulado dos EUA em Benghazi (Líbia).

Obama disse que "algumas decisões estúpidas" levaram ao escrutínio adicional do IRS sobre grupos ligados ao movimento conservador Tea Party que pleiteavam isenções e que a questão foi esclarecida durante "múltiplas audiências" no Congresso. "Esse tipo de coisa continua vindo à tona em parte porque você e seu canal de TV as promovem", disse Obama a O'Reilly.

Saiba mais: Cinco desafios de Obama para 2014

O âncora conservador, que apresenta um programa popular no mais assistido canal a cabo dos EUA, disse a Obama que muita gente acredita que sua equipe tentou subestimar as motivações do ataque insurgente em Benghazi, que matou quatro norte-americanos, incluindo o embaixador Christopher Stevens.

"Eles acreditam nisso porque gente como você está dizendo", disse Obama, rejeitando a acusação, que acabou se tornando uma questão acalorada na reta final da campanha presidencial de 2012.

O'Reilly também pressionou Obama a explicar por que não demitiu a secretária de Saúde e Serviços Humanos, Katheleen Sebelius, depois dos problemas vistos no lançamento do site governamental pelo qual os americanos deveriam adquirir planos de saúde, adequando-se ao programa conhecido como Obamacare.

"Minha principal prioridade agora é fazer com que ele sirva ao povo norte-americano", disse Obama, admitindo a O'Reilly que o processo de adesão aos planos de saúde está "cerca de um mês atrasado" por causa dos problemas. "Prometo a você que mantemos todos responsabilizados em todos os níveis", disse o presidente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.