Explosão de carro-bomba mata quatro em bairro xiita do Líbano

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ataque é o mais recente contra partidários do grupo militante Hezbollah, que luta a favor de Assad na Síria

Um carro-bomba explodiu em um bairro xiita no sul de Beirute nesta terça-feira, deixando quatro mortos e lançando fumaça sobre a área, no mais recente ataque a ter como alvo partidários do grupo militante xiita Hezbollah.

Conheça a home do Último Segundo

AP
Cidadãos libaneses são vistos em frente de prédio danificado em local de explosão em subúrbio no sul de Beirute, Líbano

Dia 27: Explosão em Beirute mata ex-ministro sunita e mais cinco no Líbano

Análise: Hezbollah posiciona Líbano na defesa de Assad na Síria

Esse foi o segundo ataque no bairro de Haret Hreik neste mês em meio a uma série de atentados que empurraram o Líbano na espiral na guerra civil da Síria. A violência tem como alvo sunitas e xiitas e aumentou ainda mais as tensões sectárias que já estão em alta à medida que cada comunidade libanesa se une a suas facções nos lados opostos do conflito sírio.

A explosão desta terça-feira estilhaçou janelas de lojas e incendiou carros em uma lotada rua comercial. Gravações transmitidas pela estação de TV al-Manar, do Hezbollah, mostrou médicos retirando um homem em uma maca enquanto as chamas consumiam um prédio. Destroços cobriam o pavimento.

Cenário: Polarizado por conflito sectário, Líbano vive risco de vácuo de poder

De acordo com a Cruz Vermelha Libanesa, além dos quatro mortos, a explosão também deixou 35 feridos.

Um grupo conhecido como Frente Nusra reivindicou responsabilidade pelo ataque, dizendo que ele era uma retaliação ao apoio do Hezbollah ao presidente da Síria, Bashar al-Assad. A reivindicação, que não pôde ser verificada de forma independente, foi postada no Twitter do grupo. Seu nome sugere vínculos com a Frente al-Nusra vinculada à Al-Qaeda na Síria, uma das muitas poderosas facções rebeldes no país.

Violência: Relatório mostra tortura e execução de 11 mil detentos pela Síria

Ataques similares atingiram áreas xiitas no Líbano em meses recentes, aparentemente o trabalho de rebeldes sunita com base na Síria ou de grupos militantes islâmicos que atuam para derrubar Assad, que ameaçou atacar redutos do Hezbollah no Líbano em retaliação por intervir em nome do governo no conflito.

*Com AP

Leia tudo sobre: hezbollahlíbanoconflito sectárioxiitassunitas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas