Irã começa a implantar acordo nuclear, diz relatório da AIEA

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Teerã paralisa maioria de sua atividade de enriquecimento de urânio, abrindo caminho para levantamento de sanções

O Irã paralisou nesta segunda-feira a maior parte de sua atividade de enriquecimento de urânio sensível como parte de um acordo alcançado com as potências mundiais, atenuando as preocupações com o programa nuclear do país e abrindo caminho para um levantamento parcial das sanções, disseram Teerã e a ONU.

Conheça a home do Último Segundo

Casa Branca: Irã começará a eliminar estoque de urânio em 20 de janeiro

AP
Centrífugas na instalação de enriquecimento de urânio de Natanz, no Irã, foram desligadas

Novembro: Irã e seis potências firmam acordo sobre programa nuclear

Segundo a TV estatal iraniana, as autoridades suspenderam o enriquecimento de urânio a 20%, nível pouco abaixo dos materiais usados para produção de bombas, ao desconectar uma série de centrífugas em Natanz.

"A produção de urânio enriquecido a 20% foi paralisada por meio do corte dos sistemas de alimentação das centrífugas nessa instalação", disse. Um relatório da Agência Internacional de Energia Atômica, a agência nuclear da ONU, confirmou que as centrífugas foram desligadas.

De acordo com a TV, os inspetores internacionais estavam presentes nesta segunda-feira, quando o Irã começou a implementar suas obrigações sob um acordo histórico alcançado em 24 de novembro em Genebra. Eles partiram para monitorar a suspensão em Fordo, outro local de enriquecimento de urânio no centro do Irã.

A agência de notícias oficial Irna disse que o Irã também começou nesta segunda-feira a converter parte de seu estoque de urânio enriquecido a 20% em óxido para produzir combustível nuclear.

Saiba mais: Veja o infográfico sobre o mundo nuclear

As medidas atenuam os temores ocidentais sobre o controverso programa nuclear do Irã e, em troca, devem levar ao levantamento de algumas das sanções.

Autoridades graduadas nos EUA disseram que o governo de Barack Obama colocou o valor total do auxílio em cerca de US$ 7 bilhões dos estimados US$ 100 bilhões em bens iranianos em bancos estrangeiros. O Irã receberá os primeiros US$ 550 milhões dos US$ 4,2 bilhões de seus bens bloqueados no exterior em 1º de fevereiro.

Em Bruxelas, chanceleres de 28 países-membros da União Europeia reunidos para uma de suas consultas periódicas estão prontos para suspender algumas das sanções por seis meses se os inspetores da ONU confirmarem que os esforços de enriquecimento de urânio do Irã foram suspensos.

Sob o acordo histório, o Irã concordou em paralisar seu programa de enriquecimento a 20%, mas continuará enriquecendo a 5%. Também concordou em converter metade de seu estoque de urânio enriquecido a 20% em óxido e diluir a metade remanescente a um enriquecimento de 5% durante os próximos seis meses.

Além das medidas de enriquecimento, o acordo temporário de seis meses também compromete o Irã a abrir seu programa nuclear a melhores inspeções da ONU e a fornecer mais detalhes de suas atividades e instalações atômicas. O Irã também não porá em atividade seu reator de água pesada que está em construção em Arak, no centro do país.

Em troca, o país não está sob risco de novas sanções e terá atenuadas as já existentes. As medidas que têm como alvo produtos petroquímicos, ouro e outros metais preciosos, a indústria automobilística, peças de aviões de passageiros e serviços serão levantadas imediatamente.

O acordo de Genebra permite ao Irã continuar exportando petróleo no nível atual, que é de cerca de 1 milhão de barris por dia.

O acordo interino de Genebra durará seis meses enquanto o Irã e as potências nucleares negociam um acordo final. O chanceler iraniano, Mohammad Javad, disse no sábado que Teerã está pronto para entrar em negociações para um acordo permanente assim que o pacto interino entrasse em vigor.

Os EUA e alguns de seus aliados temem que o Irã esteja perto de construir uma bomba atômica. O Irã rejeita as acusações, dizendo que seu programa nuclear tem propósitos pacíficos, como produção de eletricidade e de isótopos médicos para o tratamente de pacientes com câncer.

*Com AP

Leia tudo sobre: irãprograma nuclearenriquecimento de urânioaiea

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas