EUA e União Europeia atenuam sanções após Irã começar a implementar acordo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Algumas outras sanções continuarão em vigor enquanto ocorrem negociações para pacto definitivo em seis meses

Os EUA começarão a atenuar algumas sanções econômicas sobre o Irã depois que o país começou a paralisar suas atividades nucleares mais sensíveis, disse a Casa Branca nesta segunda-feira. O anúncio foi feito pouco depois de a União Europeia também ter anunciado que suspendia algumas das sanções que impôs a Teerã.

Conheça a home do Último Segundo

AP
Trabalhador anda de bicicleta em frente de reator da usina de Bushehr no Irã (26/10/10)

Relatório da AIEA: Irã começa a implantar acordo nuclear

A medida iraniana faz parte de um acordo alcançado no ano passado com os EUA, cinco outras potências e a União Europeia para amenizar as preocupações com o programa nuclear iraniano e permitir a remoção parcial de algumas sanções econômicas que prejudicaram a economia iraniana. O Irã insiste que seu programa nuclear tem apenas propósitos pacíficos.

A Agência Internacional de Energia Atômica (agência nuclear da ONU) confirmou nesta segunda-feira que o enriquecimento em alto grau de urânio em uma instalação no centro do Irã foi suspenso, um importante passo que, tomado juntamente com outros, forneceu às autoridades as provas necessárias para concluir que o Irã está cumprindo sua parte do acordo.

Novembro: Irã e seis potências firmam acordo sobre programa nuclear

A Casa Branca, que prometeu evitar que o Irã desenvolva armas atômicas, elogiou as ações do Irã como "um importante passo adiante". O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, afirmou que cinco potências - Reino Unido, França, Alemanha, Rússia e China - também começariam a fornecer auxílio ao Irã.

Ao mesmo tempo, Carney afirmou que o grupo continuará com sua agressiva implementação das sanções que ficarão em vigor durante os próximos seis meses, período em que o Irã e as potências mundiais usarão para negociar um acordo final.

Sob o acordo histório, o Irã concordou em paralisar seu programa de enriquecimento a 20%, mas continuará enriquecendo a 5%. Também concordou em converter metade de seu estoque de urânio enriquecido a 20% em óxido e diluir a metade remanescente a um enriquecimento de 5% durante os próximos seis meses.

Saiba mais: Veja o infográfico sobre o mundo nuclear

Além das medidas de enriquecimento, o acordo temporário de seis meses também compromete o Irã a abrir seu programa nuclear a melhores inspeções da ONU e a fornecer mais detalhes de suas atividades e instalações atômicas. O Irã também não porá em atividade seu reator de água pesada que está em construção em Arak, no centro do país.

Em troca, o país não está sob risco de novas sanções e terá atenuadas as já existentes. As punições que têm como alvo produtos petroquímicos, ouro e outros metais preciosos, a indústria automobilística, peças de aviões de passageiros e serviços serão levantadas imediatamente.

O acordo de Genebra permite ao Irã continuar exportando petróleo no nível atual, que é de cerca de 1 milhão de barris por dia.

O chanceler iraniano, Mohammad Javad, disse no sábado que Teerã está pronto para entrar em negociações para um acordo permanente assim que o pacto interino entrasse em vigor.

*Com AP e Reuters

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas