Para construir os castelos, que turistas pagam de US$ 8 a US$ 10 para visitar, são necessários milhares de dólares

A atividade agrícola fica difícil durante o inverno de New Hampshire — a menos que você esteja criando pingentes de gelo.

Conheça a home do Último Segundo

Na base da Montanha Loon, em Lincoln, um castelo de gelo não parecido ao do filme "Frozen", da Disney, sobe a partir do chão, um pingente de gelo de cada vez. Ele é um dos três castelos de gelo construídos pela mesma companhia em Breckinridge, Colorado, e Midway, Utah, neste inverno.

Brent Christensen, que agora vive no Havaí, começou sua companhia de Castelos de Gelo há alguns anos depois de passar vários invernos construindo escorregadores e torres de gelo para seus filhos em seu quintal em Utah. Ele inicialmente espalhou água em molduras de madeira, apenas para ficar com uma bagunça emaranhada de madeira despedaçada na primavera. No ano seguinte, ele experimentou com blocos de gelo, construindo um pequeno iglu ao qual adicionou pedaços de neve e gelo.

"Durante o processo, quase acidentalmente comecei a pensar em pingentes de gelo", disse. "No início, foi apenas pela estética. E então, com o tempo, me deparei com a ideia de entrecruzar os pingentes, e assim descobri que é possível fazê-los crescer de uma determinada forma."

Mais tarde, ele abordou áreas de ski para construir estruturas maiores que poderiam servir como instalações de arte temporárias ou atrações turísticas, e a ideia decolou. São necessários dezenas de milhares de dólares para construir os castelos, e os visitantes pagam entre US$ 8 e US$ 10 para atravessá-los. Cerca de 8 mil pessoas visitaram o castelo de New Hampshire desde que ele abriu, em 27 de dezembro.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.