Novos cardeais assumem em 22 de fevereiro. Escolhidos refletem atenção de pontífice em relação à pobreza

Dom Orani Tempesta em foto de 2005
Studio Oliveira
Dom Orani Tempesta em foto de 2005

O papa Francisco nomeou neste domingo seu primeiro grupo de cardeais, incluindo o brasileiro Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro. Dom Orani faz parte de um grupo de 19 religiosos escolhidos da Ásia, África, América do Norte e do Sul que refletem a atenção do pontífice em relação à pobreza .

Conheça a home do Último Segundo

Dom Orani:  Nomeação para cardeal é uma graça divina

Ao reagir à notícia, Dom Orani afirmou que a nomeação é uma graça divina e lhe dará mais responsabilidade na Igreja Católica.

"Em minha indignidade tenho certeza de que a graça de Deus não me faltará para poder bem servir à Igreja nessa dimensão universal que é a dimensão do cardinalato", afirmou em entrevista a veículos de comunicação da Arquidiocese, disponível no site da instituição.

"Peço a todos que continuem rezando por mim para que possa continuar servindo a Deus, à Igreja, como tenho servido até hoje, mas agora com essa responsabilidade maior, que se une às que já desenvolvo."

Repercussão: Dilma diz que nomeação de Dom Orani é uma alegria

O papa fez o anúncio enquanto falava para uma multidão reunida na Praça de São Pedro, no Vaticano. Dos 19 escolhidos, 16 têm menos do que 80 anos, significando que poderiam participar de uma eventual nova votação para escolha de um papa, na função mais importante de um cardeal.

Antes da nomeação dos cardeais, o papa Francisco celebrou o batizado de 32 bebês na Capela Sistina . Veja galeria de fotos da cerimônia:

A cerimônia formal para que os religiosos assumam como cardeais ocorre em 22 de fevereiro no Vaticano.

Algumas das nomeações eram esperadas, como a de seu novo secretário de Estado, o arcebispo italiano Pietro Parolin, e do chefe alemão do gabinete de supervisão para a doutrina ortodoxa do Vaticano, Gerhard Ludwig Mueller. Mas alguns nomes foram surpreendentes.

Cenário: Escolha do papa de novos cardeais dá ênfase aos pobres

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, disse que a seleção de religiosos do Haiti e de Burkina Faso pelo papa, países que estão entre os mais pobres do mundo, reflete a atenção de Francisco em relação aos destituídos como parte central da missão da Igreja.

Também escolhido para se tornar um "príncipe da Igreja", como os cardeais são conhecido, está Mario Aurelio Poli, o arcebispo de Buenos Aires, posto que Francisco deixou ao ser eleito o primeiro papa da América Latina em março .

Arcebispo Dom Orani João Tempesta dá sermão no Dia Mundial da Juventude, Rio (12/7/2013)
AP
Arcebispo Dom Orani João Tempesta dá sermão no Dia Mundial da Juventude, Rio (12/7/2013)

Suas seleções também vêm de Manágua, Nicarágua; Santiago, Chile; Seul, Coreia do Sul; e de Westminster, no Reino Unido.

Saiba mais:  Entenda o processo de canonização de João Paulo 2º e João 23 

Com um toque sentimental, entre os três homens muito velhos para participar da eleição do próximo papa está o monsenhor Loris Francesco Capovilla, 98, que serviu como secretário pessoal do papa João 23. O pontífice morto será canonizado juntamente com João Paulo 2º no Vaticano em abril .

*Com AP e Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.