Irã começará a eliminar estoque de urânio em 20 de janeiro, diz Casa Branca

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Seis potências mundiais e governo iraniano concordaram em iniciar a implementação de acordo nuclear temporário

O Irã concordou em começar a eliminar seu estoque de urânio altamente enriquecido a partir de 20 de janeiro sob um acordo temporário anunciado em novembro, disse a Casa Branca neste domingo.

Conheça a home do Último Segundo

AP
O presidente dos EUA, Barack Obama, faz pronunciamento à imprensa na Casa Branca, Washington (17/10)

Novembro: Irã e seis potências firmam acordo sobre programa nuclear

O anúncio da Casa Branca se seguiu a um comunicado da chefe de Relações Exteriores da União Europeia (UE), Catherine Ashton, em que afirmou que seis potências mundiais e o Irã concordaram em iniciar a implementação do acordo nuclear temporário em 20 de janeiro.

Como parte do acordo, o Irã também disse que desmantelará parte da infraestrutura que torna possível o enriquecimento de urânio em alto nível e afirmou que não porá para funcionar centrífugas adicionais. Em troca, algumas sanções contra o Irã serão amenizadas como parte de um "alívio modesto", disse a Casa Branca.

O presidente dos EUA, Barack Obama, celebrou o acordo com o Irã, mas disse que é preciso mais para um pacto de longo prazo. Ele repetiu que vai vetar qualquer lei que determine novas sanções durante a negociação de um acordo de longo prazo com o Irã.

Presidente: Problemas econômicos do Irã vão além de sanções

"Impor novas sanções agora apenas arriscaria prejudicar nossos esforços para solucionar isso de forma pacífica, e vetarei qualquer legislação que peça novas sanções durante a negociação", disse Obama em uma declaração escrita.

A chefe de Relações Exteriores da UE representa seis países - EUA, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha - em contatos diplomáticos com o Irã relacionados ao impasse nuclear. Ela disse que agora as nações pedirão ao órgão de energia atômica da ONU para a implementação do acordo.

"Vamos pedir à AIEA para realizar as atividades necessárias de monitoramento e verificação relacionados com o acordo nuclear", disse.

Sob o acordo de 24 de novembro, o Irã prometeu limitar suas atividades nucleares mais sensíveis em troca de algum alívio de sanções econômicas ocidentais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas