Irã anuncia avanço em negociação para acordo nuclear definitivo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Entendimento para implementação de acordo é enviado a potências, que devem responder se aceitam seus termos

O enviado nuclear do Irã a Genebra, Abbas Araghchi, afirmou que um pacto inicial foi alcançado sobre as questões práticas pendentes para a implementação de um acordo nuclear com as seis potências, com o documento tendo sido enviado às capitais para aprovação.

Conheça a home do Último Segundo

AP
Vice-chanceler do Irã, Abbas Araghchi, cumprimenta diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, antes de encontro em Viena, Áustria (28/10/2013)

Novembro: Irã e seis potências firmam acordo sobre programa nuclear

As seis potências envolvidas nas negociações com o Irã (EUA, China, Rússia, França, Reino Unido e Alemanha) foram representadas nesta sexta-feira pela União Europeia (UE).

"Todas as questões políticas e técnicas foram resolvidas, mas a decisão final será tomada pelas respectivas capitais", disse o vice-chanceler iraniano, Araghchi, após dois dias de negociação com a representante da UE, Helga Schmid, em Genebra.

Araghchi fez os comentários para a agência de notícias Irna. Ele disse que as potências mundiais e o governo iraniano deveriam responder dentro de dois dias se aceitam os termos. Sob condições de anonimato, uma autoridade de um país-membro da ONU que acompanha as negociações de perto disse que um acordo preliminar foi alcançado na noite desta sexta-feira.

Embora não seja uma decisão final, ela mapeia o primeiro passo de um acordo para impedir avanços nucleares do Irã por seis meses, enquanto os diplomatas buscam um entendimento definitivo sobre a questão nuclear iraniana.

Presidente: Problemas econômicos do Irã vão além de sanções

Um acordo alcançado em novembro pede que o Irã desacelere seu programa de enriquecimento de urânio em troca de algum alívio nas sanções internacionais que atingiram a economia do país produtor de petróleo.

O Irã afirma que seu programa nuclear é inteiramente pacífico, mas o Ocidente suspeita que a República Islâmica esteja em busca de adquirir capacidade para construir uma bomba nuclear.

*Com AP e Reuters

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas