'Redemoinho polar' causa temperaturas congelantes nos EUA

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Onda de frio polar pode quebrar recordes de décadas de temperaturas baixas e congelar peles expostas em minutos

A região leste dos EUA tremeu nesta segunda-feira enquanto um perigoso vórtice frio de ar denso conhecido como "redemoinho polar" ameaçou quebrar recordes de décadas e congelar peles expostas em minutos.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Mulher caminha perto de estação de trem em Chicago

Vídeo: Frio faz água fervendo congelar em pleno ar em Chicago

As péssimas condições climáticas vêm depois de uma tempestade de neve ter atingido boa parte da região durante o fim de semana. Autoridades fecharam escolas em Chicago, e em outras cidades do centro-oeste funcionários alertaram os residentes a permanecer dentro de casa. 

Mais de 1 mil voos foram cancelados no domingo nos aeroportos através da região. "É apenas um frio perigoso", disse o metereologista Butch Dye, di Serviço Nacional do Clima.

Domingo: Frio 'ameaçador' atinge região centro-oeste dos Estados Unidos

A previsão é extrema: -35°C na Dakota do Norte e -26°C em Mineápolis, Indianápolis e Chicago. A sensação térmica pelo vento pode cair de -45°C para -51°C.

Na cidade de Nova York, a previsão é de que a temperatura caia drasticamente de cerca de 11°C para cerca de -12°C durante a madrugada com a chegada do ar ártico.

Não se registravam essas temperaturas em quase duas décadas em muitas partes do país. Ulcerações provocadas pelo frio e hiportemia podem acontecer em poucos minutos.

Corredores fazem jogging na neve em frente ao Lincoln Memorial, em Washington, EUA (13/2). Foto: APPedestres se apoiam uma na outra ao atravessar rua sob tempestade de neve na Carolina do Norte (12/2). Foto: APPedestre anda por ruas cheias de neve em Albany, no estado americano de Nova York (5/2). Foto: APCongestionamento atinge lado que leva ao sul de Atlanta, enquanto norte fica vazio (29/1). Foto: APHomem atravessa Rua Broad durante queda de neve na Filadélfia (21/1). Foto: APPedaços de gelo são vistos no Rio Delaware, na Filadélfia (8/1)
. Foto: APHomem caminha perto de carro parcialmente coberto por gelo em Baltimore (8/1). Foto: APRebocador abre caminho em águas congeladas do Rio Mississippi (7/1). Foto: APPatos são vistos em parte congelada de lagoa em Fairfax, Virgínia (7/1). Foto: APLinha do horizonte de Chicago é vista além da água congelada do Lago Michigan (6/1). Foto: ReutersMulher caminha de volta para seu carro em estacionamento do Aeroporto Internacional de Indianápolis (6/1). Foto: APMulher caminha perto de estação de trem em Chicago (6/1). Foto: APHomem usa esqui em rua do Missouri (5/1). Foto: AP Photo/St. Louis Post-Dispatch, J.B. ForbesMotorista tenta empurrar o carro em estrada coberta de neve em Saint Louis, no Missouri (5/1). Foto: AP Photo/St. Louis Post-Dispatch, Robert CohenHomem caminha com pá de neve nas mãos em  Illinois. Previsão é de frio recorde nos EUA neste inverno (5/1). Foto: AP Photo/The News-Gazette, Holly HartMulher escorrega no chão congelado em Roosevel Island, em Nova york. Foto: ZORAN MILICH/REUTERS/NewscomHomem escorrega no gelo em Roosevelt Island, em Nova York, atingida por uma forte tempestade de neve (5/1). Foto: ZORAN MILICH/REUTERS/NewscomHomem caminha pela neve em Massachussets (5/1). Foto: AP Photo/Michael DwyerHomem usa máscara e roupas pesadas durante caminhada em Springfield, no Estado de Illinois (5/1). Foto: AP Photo/Seth PerlmanCasal enfrenta o 'inverno branco' em Webster Groves, no Missouri (5/1). Foto: AP Photo/St. Louis Post-Dispatch, J.B. ForbesApós forte nevasca em New Jersey, homem tenta desenterrar seu carro da neve (4/1). Foto: APAcidentes de trânsito são principal causa de mortes durante o frio (4/1). Foto: APNeve cobriu as pedras de cemitério em Nova York (4/1). Foto: ReutersPrevisão é de que o final de semana fosse ainda mais frio nos EUA (4/1). Foto: ReutersPessoas brincam com a neve no Central Park, em Nova York (3/1). Foto: ReutersNevasca em Nova York (3/1). Foto: CARLO ALLEGRI/REUTERS/NewscomCrianças fazem pilha de neve na Times Square, em Nova York (3/1). Foto: AP/John MinchilloCrianças brincam com a neve na ponte do Brooklyn, em Nova York (3/1). Foto: AP/John MinchilloNeve atrapalha pedestres no cruzamento da 34th Street com 6th Avenue, em Nova York (3/1). Foto: AP/John MinchilloA ponte do Brooklyn, em Nova York, sob intensa neve (3/1). Foto: AP/John MinchilloFuncionários retiram neve de degraus na Times Square (3/1). Foto: AP Photo/John MinchilloCriança brinca de criar formato de anjo sobre a neve na Times Square (3/1). Foto: AP Photo/John Minchillo

"Eu vi ulcerações acontecerem através das vestimentas", disse Douglas Brunette, um médico de uma sala de emergência em Mineápolis. "Não é suficiente apenas estar coberto. Você precisa de roupas para os elementos da natureza. Você precisa repelir o vento."

O prefeito de Indianápolis elevou o nível de emergência de viagem da cidade para "vermelho", tornando ilegal para qualquer pessoa dirigir, exceto para emergências ou para buscar abrigo. A última vez em que a cidade emitiu um alerta de viagem foi em 1978.

Muitas cidades estão praticamente paradas. As escolas foram canceladas nesta segunda-feira no Estado de Minnesota. Escritórios do governo e tribunais em vários Estados estão fechados.

Os Estados no sul do país também se preparam para possíveis temperaturas frias recordes. 

*Com AP

Leia tudo sobre: frioeuaonda de frio euafrio polar

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas