Apple nega saber de plano da NSA para usar celular em espionagem

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Agência de Segurança Nacional dos EUA estaria desenvolvendo software para usar iPhones como grampo

AP

A empresa norte-americana Apple negou ter qualquer envolvimento com as tentativas da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) em quebrar o sigilo do iPhone. A Apple negou ter conhecimento do programa da agência, que tentou transformar o celular de sua fabricação, o mais vendido do mundo, em um gravador que pode ser acessado à distância.

Conheça a home do Último Segundo

Em comunicado, a empresa disse nesta terça-feira (31) que nunca trabalhou junto a NSA para transformar nenhum dos seus produtos e que promete “defender os consumidores de ataques de segurança, de qualquer origem”.

Leia também:

Se adotadas por Obama, recomendações sobre espionagem mudariam trabalho da NSA

A declaração da Apple vem em resposta às denúncias de que a NSA desenvolveu um software para transformar um iPhone em um grampo portátil, que gravaria secretamente conversas, roubaria arquivos e coletaria informações.

A revelação se soma a uma série de denúncias de espionagem e invasões de privacidade contra a NSA nos últimos seis meses.

Leia tudo sobre: NSAIphoneApple

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas