Mulher-bomba é responsável por ataque que matou pelo menos 16 pessoas na Rússia

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo atentado mortal acontece enquanto o país se prepara para sediar Jogos Olímpicos de Inverno, em 2014

Reuters

Uma mulher-bomba se explodiu no hall de entrada de uma estação de trem russa no útlimo domingo (29), matando pelo menos 16 pessoas no segundo ataque mortal em três dias, enquanto o país se prepara para sediar Jogos Olímpicos de Inverno.

Conheça a home do Último Segundo

Ataque a bomba provoca mais de dez mortes em estação de trem na Rússia

A mulher-bomba detonou seus explosivos em frente a um detector de metal logo na entrada principal da estação de Volgogrado. Cenas exibidas na TV mostraram uma enorme bola de fogo laranja enchendo a sala com colunas imponentes e muita fumaça saindo pelas janelas quebradas. Um porta-voz dos investigadores russos disseram que pelo menos 14 pessoas foram mortas. O governador regional fala em 15.

Assista ao momento da explosão:

O presidente Vladimir Putin ordenou que as agências de aplicação da lei tomem todas as precauções necessárias para garantir a segurança, disse seu porta-voz. Um porta-voz da polícia federal disse que medidas seriam reforçadas em aeroportos e estações, com mais policiais em serviço e verificações de segurança mais rigorosas.

Mas o ataque, apenas dois meses depois de uma mulher-bomba matar seis pessoas em um ônibus, na mesma cidade, levantou questões sobre a eficácia das medidas de segurança, que o Kremlin rotineiramente ordena que sejam reforçadas após bombardeios.

Não houve reivindicação imediata de responsabilidade pelo ataque. Mulheres-bomba - conhecidas como "viúvas negras" porque algumas são os parentes de insurgentes mortos - levaram a cabo vários ataques reivindicados por militantes islâmicos.

O Comitê de Investigação federal, e outros funcionários disseram que quem fez o ataque era uma mulher que se explodiu depois de um policial começar a aproximar-se dela, perto do detector de metais. Um site com ligações com as agências de segurança russas, o Vida News, publicou uma foto do que disse ser a cabeça da suspeita.

O site disse que autoridades identificaram ela como residente do Daguestão, junto a província da Chechênia e que está agora no centro de uma insurgência islâmica de longa duração. A agência de notícias Interfax citou duas fontes policiais não identificadas dizendo que as autoridades acreditavam que o atacante era um homem que carregava uma bomba na estação com uma mochila. A Vida News disse que os oficiais acreditam que o atacante estava acompanhado por um homem com uma mochila e uma outra mulher.

Volvogrado está logo acima da região rebelde do Norte do Cáucaso, onde há uma série de províncias de maioria muçulmana que inclui a Chechênia, onde a Rússia lutou duas guerras contra separatistas nas últimas duas décadas. Volgogrado é uma cidade de cerca de 1 milhão de habitantes, e um importante centro de transportes no sul da Rússia, cerca de 690 quilômetros a nordeste de Sochi, onde os Jogos Olímpicos serão iniciados em 7 de fevereiro.

Leia tudo sobre: MUNDOVIOLENCIARUSSIAEXPLOSAO

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas