Forças sírias matam 25 em ataque aéreo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Centenas de pessoas foram mortas por ataques aéreos perto de Aleppo nas últimas semanas, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos

Reuters

Um ataque aéreo realizado pelas Forças Armadas da Síria sobre um mercado de vegetais em Aleppo matou ao menos 25 pessoas no sábado, de acordo com um grupo de monitoramento, dando continuidade a uma campanha com "bombas de barril" improvisadas, que foi condenada por outros países.

Conheça a home do Último Segundo

Pão encarece 500% e vira símbolo da crise humanitária na Síria

Um vídeo publicado na Internet pelo grupo local de ativistas Insaan Rights Watch mostra moradores retirando corpos dilacerados de carros amassados e queimados.

STRINGER/REUTERS/Newscom
Criança é resgatada após ataque aéreo em Aleppo, na Síria

Uma estrada atingida pelo ataque estava coberta com escombros dos edifícios próximos e com corpos enfileirados, enquanto jovens gritavam por carros para ajudar a transportar os feridos. O conteúdo do vídeo não pôde ser verificado de forma independente.

Centenas de pessoas foram mortas por ataques aéreos perto de Aleppo nas últimas semanas, sendo muitas mulheres e crianças, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, um grupo de monitoramento pró-oposição baseado na Grã-Bretanha.

US$ 6,5 bilhões: ONU faz apelo recorde para crise na Síria em 2014

Neste sábado, o Observatório disse que 25 pessoas, sendo ao menos quatro crianças, foram mortas por bombardeios com barris que também destruíram parte de um hospital. O Observatório disse que o total de mortos vai provavelmente aumentar pois outras dúzias de pessoas foram feridas no ataque.

As autoridades sírias disseram que estão lutando contra rebeldes que controlam grandes pedaços da cidade, outrora o pólo comercial da Síria.

Grupos que lutam pelos direitos humanos e os Estados Unidos condenaram o uso das bombas improvisadas - barris de petróleo ou cilindros preenchidos com explosivos e fragmentos de metal. Eles dizem que isso é uma forma indiscriminada de bombardeio.

Leia tudo sobre: MUNDOORMEDSIRIABOMBABARRILALEPPO

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas