Explosão em Beirute mata ex-ministro sunita e mais cinco no Líbano

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ataque contra opositor do presidente da Síria é o mais recente em uma escalada de violência pelo conflito sírio

O ex-ministro libanês Mohammed Chatah, que fazia oposição ao presidente sírio, Bashar al-Assad, foi morto em uma explosão que atingiu o comboio dele em um distrito comercial no centro de Beirute nesta sexta-feira e deixou ao menos mais cinco mortos e mais de 70 feridos, informaram fontes do setor de segurança.

Conheça a home do Último Segundo

Vídeo: Carros ficam em chamas após ataque contra ex-ministro sunita

AP
Soldados libaneses são vistos ao redor de veículo carbonizado em local de explosão no centro de Beirute

Dia 4: Hezbollah diz que comandante foi morto em Beirute e acusa Israel

De acordo com a Agência Nacional de Notícias, a explosão foi causada por um carro-bomba, mas fontes de segurança disseram não ter confirmação imediata dessa informação.

Chatah, um muçulmano sunita, também era uma figura da oposição interna no Líbano e foi ministro das Finanças e conselheiro do ex-primeiro-ministro Saad al-Hariri. Fontes que viram a explosão disseram que Chattah estava a caminho de uma reunião com Hariri quando a bomba foi detonada.

Novembro: Explosões contra embaixada do Irã matam dezenas no Líbano

Uma testemunha da Reuters no local disse que o carro ficou "totalmente destruído". O barulho da explosão foi ouvido em diversas partes da cidade às 9h40 (5h40 no horário de Brasília), e uma coluna de fumaça preta se ergueu no bairro comercial e de hotéis.

Agosto: Explosões perto de mesquitas deixam ao menos 42 mortos em Trípoli

AP
Libanês carrega mulher ferida em explosão em Beirute, Líbano

Um restaurante e um café foram destruídos pela explosão, e vários carros pegaram fogo, disseram testemunhas. Grande parte de Beirute foi isolada pela polícia após a explosão.

O Líbano tem sido palco de uma onda de explosões durante os últimos meses enquanto as tensões aumentam pela guerra civil na Síria entre as comunidades sunitas e xiitas libanesas.

Hezbollah: Conheça a história do movimento xiita libanês

Julho: UE declara braço militar do Hezbollah como grupo terrorista

Hariri lidera a principal coalizão apoiada pelo Ocidente no Líbano, que está engajada em uma dura disputa com o grupo militante xiita Hezbollah, que é aliado a Assad. Vários ataques recentes tiveram como alvo figuras proeminentes do Hezbollah ou distritos dominados pelo grupo xiita.

As tensões no Líbano estimularam previsões de que o país, que ainda se recupera de uma guerra civil de 15 anos que terminou em 1990, está à beira de cair em uma guerra sectária total.

Tensão: Refugiados sírios pressionam tecido social e econômico de vizinhos

AP
Carros pegam fogo em local de explosão em Beirute, Libano

Chatah, um importante economista e ex-embaixador nos EUA, foi um dos aliados mais próximos do ex-premiê Rafik Hariri, que foi morto na explosão de um caminhão em Beirute em 2005, não longe do local do ataque desta sexta-feira.

Ele mais tarde se tornou ministro das Finanças quando o filho de Hariri, Saad, assumiu como premiê e continou como um de seus principais conselheiros depois que ele perdeu o cargo no início de 2011.

*Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: sírialíbanobeiruteharirichatahguerra sectáriaxiitassunitas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas