Donos de fábrica de Bangladesh são acusados por mortes em incêndio

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Incêndio matou 112 trabalhadores; funcionários não conseguiram escapar, pois portas estavam trancadas

A polícia de Bangladesh acusou, neste domingo (22), os proprietários de uma fábrica de roupas e mais 11 funcionários por homicídio culposo e negligência. Um incêndio no ano passado matou 112 trabalhadores na fábrica.

AP
Bombeiros tentam combater o fogo que tomou conta de fábrica em Bangladesh, em 2012

Esta foi a primeira vez que autoridades de Bangladesh tentaram processar os donos da segunda maior indústria de vestuários do mundo. Uma série de tragédias recentes - incluindo o incêndio em 2012 e o desabamento em abril de 2013 que matou mais de mil trabalhadores – expôs as péssimas condições das fábricas onde trabalham mais de 4 milhões de pessoas no País.

Leia mais: Incêndio em fábrica deixa mais de 100 mortos em Bangladesh

A fábrica , que produz roupas para grandes marcas globais, como o Wal-Mart, não tinha saída de emergência e estava localizada em um beco estreito que dificultou a ação dos bombeiros.

Entre os acusados estão os proprietários Delwar Hossain e Mahmuda Akter, assim como gerentes da fábrica, seguranças e engenheiros. 

"Os gerentes e segurança enganaram os trabalhadores, afirmando que não era nada só a simulação regular de incêndio, quando o fogo já havia começado”, disse o procurador Anwarul Kabir Babul. "Assim, os trabalhadores voltaram ao trabalho depois que o alarme de incêndio disparou, e ficaram presos quando os gestores trancaram as portas."

O tribunal vai decidir em 31 de dezembro se vai aceitar as acusações e permitir que o julgamento continue. Bangladesh é o segundo maior fabricante de roupas do mundo, depois da China. O negócio gera mais de US $ 20 bilhões por ano com as exportações, principalmente para os Estados Unidos e Europa.

*Com informações da AP

Leia tudo sobre: bangladeshincêndioindústria textil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas