Morre Ronald Biggs, ladrão britânico do famoso assalto ao trem pagador

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dinheiro de um dos maiores assaltos da história nunca foi recuperado. Após fugir, Biggs viveu no Rio por 31 anos

BBC

SERGIO MORAES/REUTERS/Newscom
Biggs viveu 31 anos no Rio

Ronald Biggs, o famoso assaltante britânico que fugiu da prisão e viveu 31 anos no Rio de Janeiro, morreu aos 84 anos. Biggs, que participou da quadrilha que realizou o renomado assalto ao trem pagador de 1963, no Reino Unido, estava internado em uma casa de idosos no norte de Londres, já não falava e tinha dificuldades para andar após uma série de infartos.

Conheça a nova home do Último Segundo

2009: Governo britânico concede liberdade a Biggs, o ladrão do século

Sua última aparição pública foi em março deste ano, durante o enterro de Bruce Reynolds, que também participou do roubo. O assalto de 30 milhões de libras, em valores atualizados (cerca de R$ 120 milhões), foi um dos maiores da história britânica – o dinheiro nunca foi recuperado.

Após 15 meses na prisão, Biggs conseguiu fugir dentro de um caminhão que levava móveis. Em Paris, ele fez cirurgia plástica e depois fugiu para a Espanha, a Austrália e, finalmente, em 1970, o Brasil.

Ele morou no Rio de Janeiro, onde teve um filho, Mike Biggs, que foi integrante da Turma do Balão Mágico e atualmente vive na Inglaterra, onde mantinha contato com o pai.

Ao todo, ele passou 36 anos vivendo como fugitivo. Em 2001, ele sofreu um derrame no Brasil e resolveu voltar para o Reino Unido. Ao chegar ao país, ele foi imediatamente preso. Em agosto de 2009, Biggs, que estava doente, foi libertado.

Foto de 8/7/1963 mostra Ronnie Biggs, conhecido pelo seu papel no assalto ao trem pagador em 1963. Foto: APRonald Biggs posa para foto no Brasil com camiseta que diz 'Prisioneiro do Rio' (1992)
. Foto: ReutersRonnie Biggs participa de coletiva para marcar lançamento de sua biografia 'Odd Man Out: The Last Straw', em Londres (17/11/2011). Foto: APRonald Biggs ri com seu filho Michael durante coletiva para lançar versão atualizada de sua biografia em Londres (17/11/2011). Foto: ReutersRonald Biggs gesticula ao chegar a enterro de Bruce Reynolds, em Londres (20/3). Foto: NEIL HALL/Reuters/Newscom

Gentil e generoso

O escritor Christopher Pickard, autor da biografia de Biggs, disse que ele deveria ser lembrado como "um dos maiores personagens dos últimos 50 anos".

Em entrevista ao programa de rádio Today, da Rádio 4 da BBC, Pickard disse que seu amigo era "gentil e generoso" e tinha um grande senso de humor que foi guardado até o final de sua vida.

Biggs foi o primeiro produto da "era da mídia", tendo adquirido fama "enquanto corria pelo mundo". Durante a época em que ficou foragido, Biggs deu declarações que se tornaram notórias.

Famoso por sua investidas em mulheres, ele certa vez disse: "Já disseram que desde que fugi tive 2,5 mil namoradas. É preciso lembrar que estou foragido há mais de 30 anos, então eu tenho que ter tido mais do que isso."

A morte de Biggs coincidiu com a estreia de dois filmes para a TV sobre o grande assalto ao trem pagador de 1963. A Robber's Tale e A Copper's Tale estão programados para transmissão na BBC nesta quarta-feira e na quinta-feira.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas